Mundo

Cadela salva homem de uma pena de 50 anos de prisão

Lisa Christon

A descoberta de uma cadela chamada Lucy ajudou a desvendar parte de um caso criminal contra um homem, suspeito de cometer abusos sexuais a uma menor, e que estava no início de uma sentença de 50 anos na prisão. Em causa estavam as falsas declarações da alegada vítima.

O norte-americano Joshua Horner foi condenado em abril de 2017 pelo crime de abuso sexual de uma menor.

Durante o julgamento, a alegada vítima testemunhou que o canalizador tinha ameaçado matar os seus cães, caso ela fosse à polícia apresentar queixa. Segundo a agência Associated Press, a jovem disse mesmo que tinha visto o homem de Oregon a matar a sua cadela para provar que as ameaças eram verdadeiras.

Perante a condenação e já na prisão, Horner pediu ao Projeto Pessoas Inocentes de Oregon para aceitarem o seu caso. Juntamente com o procurador do condado de Deschutes, John Hummel, o grupo decidiu investigar.

Horner sempre insistiu que não tinha morto cão algum e o grupo viu aí uma oportunidade para desvendar a verdade. Começaram por procurar o labrador preto, que a alegada vítima tinha dito ter sido morto à sua frente.

Depois de alguma investigação, o grupo e John Hummel conseguiram encontrar a cadela numa pequena cidade perto de Portland. "Ela estava a beber de uma taça de água e sentada na sombra. Brincamos com ela. Foi extraordinário", revelou Lisa Christon, uma das voluntárias do grupo, à agência norte-americana.

O escritório de John Hummel afirmou que a descoberta desta evidência chave mostrou que a alegada vítima não tinha sido honesta no seu testemunho. "A cadela Lucy não foi morta. A cadela Lucy está viva e bem de saúde", foram estas as declarações pelo escritório do procurador, através de um comunicado.

O caso voltou a tribunal, com Hummer a dizer que não tem a certeza que Horner não abusou sexualmente da alegada vítima, mas que também não estava convencido do crime.

O juiz do condado de Deschutes anulou o caso. Horner saiu da prisão a 3 de agosto, depois do Tribunal de Recurso anular a sua condenação e pedir um novo julgamento.

Contudo, após as várias tentativas de contactar a alegada vítima terem falhado, o tribunal decidiu que não iria haver um novo julgamento. John Hummer foi formalmente absolvido na passada segunda-feira.

Num comunicado divulgado pelo Projeto Pessoas Inocentes de Oregon, Joshua Horner agradeceu ao grupo, à família, aos amigos e ao procurador John Hummel pela resolução do caso.

  • Novos e-mails põem em causa valores da saída de Garay do Benfica
    2:44

    Desporto

    O pirata informático suspeito de ter desviado centenas de e-mails do Benfica revelou mais material, alegadamente comprometedor. Segundo uma mensagem alegadamente trocada entre Luís Filipe Vieira e Paulo Gonçalves, publicada esta quarta-feira na internet, o negócio da venda de Garay poderá ter sido feito por 13 milhões de euros e não por 6, como foi anunciado.

  • Saiba como escolher o melhor Plano Poupança Reforma
    8:32
  • Este pode ser um natal de sonho para os fãs de Harry Potter

    Mundo

    Os estúdios da Warner Brothers, em Londres, vão abrir as portas na época natalícia. Entre os dias 10 e 12 de dezembro o grande salão de Hogwarts servirá de cenário para um jantar que promete transportar os fãs de Harry Potter até ao imaginário de J.K. Rowling. Os bilhetes estão disponíveis a partir da próxima semana.

  • A imagem que está a emocionar a Índia

    Mundo

    A fotografia de um menino a despedir-se do pai, que morreu durante um acidente de trabalho, está a emocionar a Índia. Tanto que, num só dia, os internautas conseguiram angariar mais de três milhões de rupias (cerca de 36 mil euros) para ajudar a família.

    SIC

  • "Eu chupo e você?", a campanha contra as palhinhas que já dão multas no Brasil
    2:36

    Mundo

    A partir de hoje, o Rio de Janeiro vai multar até 340 euros todos os comerciantes que ofereçam palhinhas de plástico aos clientes. Em caso de reincidência, as multas podem ultrapassar os 1200 euros. Isto meses depois de ter sido lançada no país a campanha #paredechupar para eliminar os “canudos de plástico” que podem demorar mais de 400 anos a degradar-se. Só na União Europeia, são usadas 36,4 mil milhões de palhinhas todos os anos. Em todo o mundo, os números devem chegar aos mil milhões por dia.