Mundo

Ex-diretor de campanha de Trump declara-se culpado e vai colaborar com a justiça

Handout .

O ex-diretor de campanha de Donald Trump Paul Manafort vai declarar-se culpado e colaborar com a investigação à ingerência russa nas eleições de 2016, segundo um acordo anunciado esta sexta-feira pela equipa do procurador especial Robert Mueller.

Manafort, 69 anos, foi considerado culpado de fraude bancária e fiscal em agosto, na Virgínia, aguardando o anúncio da pena que lhe vai ser aplicada.

Visado por um segundo julgamento, relativo a serviços de consultoria que prestou na Ucrânia, chegou neste caso a acordo com os serviços do procurador especial, contrariando a postura que adotou no último ano, de contestar as acusações que lhe foram feitas.

O procurador Andrew Weissman disse hoje ao tribunal que Manafort aceitou um "acordo de cooperação", sem dar pormenores.Manafort disse por seu lado ao juiz que pretende declarar-se culpado.

Documentos entregues no tribunal e citados pela imprensa indicam que as sete acusações de que era alvo foram reduzidas a duas -- conspiração contra os Estados Unidos e conspiração para obstrução à justiça -, em relação às quais vai reconhecer que é culpado.

Segundo os serviços de informações norte-americanos, a Rússia tentou influenciar as eleições presidenciais norte-americanas de 2016 em benefício do candidato republicano.

A equipa do procurador especial procurar determinar se houve conluio entre a equipa de Trump e os russos.

Manafort trabalhou entre 2006 e 2017 para governos estrangeiros, incluindo o executivo pró-russo do ex-presidente ucraniano Viktor Ianukovich (2010-2014) e para oligarcas russos, sem informar as autoridades dos Estados Unidos.

Lusa

  • Diretor do Museu Serralves demite-se

    Cultura

    O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou esta sexta-feira o pedido de demissão à administração da Fundação Serralves.

  • Filho de José Eduardo dos Santos vai a tribunal pelo "caso dos 500 milhões"
    1:44

    Mundo

    O filho do ex-Presidente angolano José Filomeno dos Santos e o ex-governador do Banco Nacional de Angola Valter Filipe enfrentam a acusação do Ministério Público, no chamado "caso dos 500 milhões", que os acusa de alegada associação criminosa, fraude e branqueamento de capitais. Em Luanda, a Procuradoria-Geral da República confirmou o envio do processo para tribunal.

  • Personalidades do futebol dizem que Ronaldo foi vítima de excesso de zelo
    2:03

    Desporto

    A UEFA vai anunciar o castigo de Cristiano Ronaldo na próxima quinta-feira, depois do cartão vermelho que o internacional português recebeu no jogo da Liga dos Campeões. O castigo pode ir de um a três jogos de suspensão. Várias personalidades do mundo do futebol acreditam que o jogador foi vítima do excesso de zelo do árbitro.

  • PGR de Angola confirma detenção de antigo ministro

    Mundo

    A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola confirmou esta sexta-feira a detenção do antigo ministro dos Transportes angolano, Augusto Tomás, indiciado pela prática dos crimes de peculato, corrupção, branqueamento de capitais, entre outros puníveis pelo Código Penal.