Mundo

Sobe para nove número de mortes nos EUA devido à tempestade Florence

Jonathan Drake

Três pessoas morreram na Carolina do Norte e uma na Carolina do Sul, elevando para nove o número de vítimas mortais à passagem da tempestade tropical Florence, nos Estados Unidos da América, informaram este sábado as autoridades.

A primeira morte registada na Carolina do Sul foi a de uma mulher de 61 anos cujo carro embateu numa árvore derrubada pelo vento, segundo o porta-voz do departamento de coordenação de emergências daquele Estado, Antonio Diggs.

Outras três pessoas morreram no condado de Duplin, Carolina do Norte, devido a inundações e lençóis de água nas estradas, o que levou as autoridades a decretarem o recolher obrigatório entre as 19:00 horas locais (23:00 horas GMT) e as 07:00 horas (11:00 GMT).

Com a confirmação da existência de quatro novas vítimas, sobe para nove o número de mortes desde sexta-feira.

O furacão Florence, que atingiu a costa sudeste dos Estados Unidos, perdeu hoje intensidade para tempestade tropical.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões, a tempestade progride lentamente para o estado da Carolina do Sul, deixando um rasto de chuvas fortes, inundações, ameaça de tornados e um apagão de eletricidade que já afetou cerca de um milhão de habitações.

Segundo a Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou o estado de calamidade na Carolina do Norte, onde, segundo o novo balanço, morreram oito pessoas.

Forças armadas, guarda costeira, equipas de emergência e voluntários recorreram a helicópteros, barcos e veículos pesados para resgatar centenas de pessoas isoladas pelas inundações.

As chuvas torrenciais fizeram já transbordar rios e lagos, com as autoridades a reforçarem os apelos para que as populações abandonem as áreas em risco de inundação.

"O nível das águas está a subir e se não tomarem cuidados estarão a colocar em risco as vossas vidas", alertou o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper.

Lusa

  • Taxistas em protesto por tempo indeterminado
    1:59

    País

    Os taxistas que esta quarta-feira manifestaram-se em Lisboa, no Porto e em Faro decidiram continuar com o protesto por tempo indeterminado. No entender das associações dos profissionais, a luta só vai acabar quando conseguirem travar a lei que regula as plataformas digitais como a Uber ou a Cabify.

  • Novos e-mails põem em causa valores da saída de Garay do Benfica
    2:44

    Desporto

    O pirata informático suspeito de ter desviado centenas de e-mails do Benfica revelou mais material, alegadamente comprometedor. Segundo uma mensagem alegadamente trocada entre Luís Filipe Vieira e Paulo Gonçalves, publicada esta quarta-feira na internet, o negócio da venda de Garay poderá ter sido feito por 13 milhões de euros e não por 6, como foi anunciado.

  • Saiba como escolher o melhor Plano Poupança Reforma
    8:32
  • Este pode ser um natal de sonho para os fãs de Harry Potter

    Mundo

    Os estúdios da Warner Brothers, em Londres, vão abrir as portas na época natalícia. Entre os dias 10 e 12 de dezembro o grande salão de Hogwarts servirá de cenário para um jantar que promete transportar os fãs de Harry Potter até ao imaginário de J.K. Rowling. Os bilhetes estão disponíveis a partir da próxima semana.

  • A imagem que está a emocionar a Índia

    Mundo

    A fotografia de um menino a despedir-se do pai, que morreu durante um acidente de trabalho, está a emocionar a Índia. Tanto que, num só dia, os internautas conseguiram angariar mais de três milhões de rupias (cerca de 36 mil euros) para ajudar a família.

    SIC

  • "Eu chupo e você?", a campanha contra as palhinhas que já dão multas no Brasil
    2:36

    Mundo

    A partir de hoje, o Rio de Janeiro vai multar até 340 euros todos os comerciantes que ofereçam palhinhas de plástico aos clientes. Em caso de reincidência, as multas podem ultrapassar os 1200 euros. Isto meses depois de ter sido lançada no país a campanha #paredechupar para eliminar os “canudos de plástico” que podem demorar mais de 400 anos a degradar-se. Só na União Europeia, são usadas 36,4 mil milhões de palhinhas todos os anos. Em todo o mundo, os números devem chegar aos mil milhões por dia.