Mundo

Nível de alerta em Macau diminui mas perigo ainda não passou

Nível de alerta em Macau diminui mas perigo ainda não passou

As autoridades de Macau baixaram hoje de 10 para 8 o alerta de tempestade tropical, enquanto o tufão Mangkhut se afasta gradualmente do território. Mas as fortes chuvas que acompanham o tufão provocam graves inundações. O vento tem rajadas que alcançam os 170 km por hora. Há já registo de 13 feridos em Macau depois de o tufão ter feito pelo dezenas de mortos e desaparecidos mortos à passagem pelas Filipinas.

O sinal 10, o máximo na escala de alerta, esteve em vigor durante nove horas. Durante esse período foram registados pelo menos 13 feridos.

O balanço provisório em Macau, feito até às 17:00 (10:00 em Lisboa), registava 155 incidentes.

A maioria dos casos assinalados pelo Centro de Operações da Proteção Civil (OPC) diz respeito a queda de reclamos, toldos, janelas e outros objetos (81), danos em construção, queda de reboco e outros objetos (28), queda de árvores (21) e de andaimes (12).

Para já foram reportados sete casos de inundações, uma das grandes preocupações das autoridades de Macau, uma vez que os Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG) elevaram hoje para o nível máximo o aviso de "storm surge" (maré de tempestade), que ainda se mantém, devido às fortes inundações nas zonas baixas da cidade.

De acordo com o Instituto para os Assuntos Cívicos de Macau, a suspensão de energia elétrica determinou o encerramento do local de encontro para evacuação de emergência no Mercado da Praia do Manduco, não existindo residentes dentro das instalações, ressalvou aquela entidade.

Para garantir a segurança da população e proteger os equipamentos de abastecimento de energia elétrica, estão fechados desde as 13:00 (06:00 em Lisboa) os portões das estações de transformação em algumas zonas.

A suspensão do abastecimento de energia elétrica está a afetar 20 mil clientes em zonas que incluem a Praia do Manduco, a Rua do Almirante Sérgio, a Avenida Almeida Ribeiro, a Rua Ribeira do Patane, o Porto Interior e a Doca do Lam Mau.

O impacto do tufão já levou o chefe do Governo de Macau a emitir um despacho no qual se determina o encerramento de todos os serviços públicos na segunda-feira, com exceção daqueles integrados na estrutura da Proteção Civil e de representação exterior.

Todas as instituições de ensino superior em Macau também suspenderam a sua atividade no domingo.

Já as instalações culturais sob a alçada do Instituto Cultural, incluindo locais relacionados com a promoção do património, bibliotecas públicas, museus e salas de exposições, entre outras, serão encerradas na segunda e na terça-feira ao público para que se proceda à inspeção e limpeza daqueles espaços.

Com Lusa

  • Esta casa foi construída por uma impressora 3D
    16:27
  • Dia extra na cimeira para se alcançar acordo sobre o clima
    1:21
  • O sonho americano
    12:13