Mundo

Ex-militar foi o autor dos disparos que mataram 12 pessoas num bar da Califórnia

Um antigo 'marine' foi o autor dos disparos que provocaram 12 mortos na noite de quarta-feira num bar do sul da Califórnia, anunciou o 'sherif' local.

O atirador de 28 anos, Ian Long, cometeu o ataque no decurso de uma confraternização que juntava mais de 100 pessoas, incluindo numerosos estudantes, na cidade de Thousand Oaks, a norte de Manibu.

O ex-militar (entre 2008 e 2013) esteve incorporado no corpo de elite dos fuzileiros e esteve designadamente em missão no Afeganistão durante sete meses. Era conhecido dos serviços policiais e dos seus vizinhos por distúrbios psíquicos. Ian Long surgiu na noite de quarta-feira à entrada do Borderline Bar and Grill, armado com uma pistola Glock e um carregador com capacidade aumentada.

O ex-marine abateu o guarda de segurança antes de entrar no estabelecimento para cometer a matança que vitimou 12 pessoas no local, relatou Geoff Dean, o 'sherif' da região de Ventura, na periferia de Los Angeles.

O assaltante também foi encontrado morto, mas ainda permanece por esclarecer se cometeu suicídio ou foi abatido. O 'sherif' Dean descreveu uma "cena horrível", com "sangue por todo o lado".

Testemunhas referiram que o atirador utilizava roupas escuras e não pronunciou qualquer palavra durante o ato

Entre as vítimas encontra-se o polícia Ron Helus, 54 anos, o primeiro a intervir no local e qualificado de "herói" pelo 'sherif' Dean. Responsáveis locais e testemunhas referiram que o atirador utilizava roupas escuras camufladas e não pronunciou qualquer palavra enquanto disparava no interior do bar.

Centenas de pessoas escaparam do local, algumas partindo vidros de janelas ou saltando desde janelas do segundo andar. Em Washington, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também sublinhou hoje a "grande valentia" da polícia ao enfrentar o autor do tiroteio.

"A polícia demonstrou uma grande valentia. A Patrulha Rodoviária da Califórnia compareceu no local em três minutos e o primeiro agente que entrou disparou em numerosas ocasiões. Esse sargento do 'sherif' morreu no hospital. Deus abençoe todas as vítimas e familiares das vítimas", disse Trump na sua conta na rede social Twitter.

O Presidente norte-americano assegurou que foi "totalmente informado" sobre o ocorrido e que o autor dos disparos também se encontra entre os mortos.

Lusa