Mundo

Milhares de casas evacuadas devido a novo incêndio na Califórnia

Marcio Jose Sanchez

Milhares de pessoas foram retiradas das suas casas devido a um novo incêndio que deflagrou na quinta-feira e avançou com grande rapidez no norte da Califórnia, Estados Unidos da América, informaram as autoridades locais.

Segundo o departamento florestal de proteção contra incêndios da Califórnia, já arderam mais de 2.000 hectares.

O movimento de retirada afetou as localidades de Pulga e Concow, no condado de Butte, e ainda a povoação de Paradise, a cerca de 140 quilómetros de Sacramento, onde um hospital e várias escolas também foram evacuados.

O fogo deflagrou às primeiras horas da manhã de quinta-feira (hora local) e propagou-se rapidamente num terreno muito seco e com a ajuda de fortes ventos que sopram na região com rajadas que atingem 80 quilómetros por hora.

Os bombeiros indicaram que o incêndio, cujas causas se desconhecem, começou numa zona próxima de duas estradas locais, paralelas a uma autoestrada.

A maior companhia de fornecimento de gás e eletricidade da Califórnia indicou que foi cortado o abastecimento a 14 mil residentes a pedido dos bombeiros para garantir a segurança.

Os grandes incêndios têm-se tornado cada vez mais frequentes e violentos na Califórnia.

De acordo com o registo oficial que remonta a 1932, quatro dos cinco fogos mais destrutivos da história deste estado ocorreram nos últimos seis anos.

Em setembro, os bombeiros deram como controlado um incêndio que esteve ativo desde julho e foi considerado o maior dos que estão documentados na história da Califórnia.

Lusa

  • "Foi feito um estudo para que fossem criadas condições de segurança para a pedreira estar em laboração"
    4:04
  • Greve dos funcionários judiciais mantém-se até 31 de dezembro
    1:48

    País

    Os funcionários judiciais vão continuar em greve para exigir o estatuto profissional e a contratação de cerca de mil funcionários que faltam em todo o país. Na próxima quinta-feira, reúnem-se com o Ministério da justiça e esperam chegar a acordo nas negociações. Caso contrário, mantêm as greves agendadas para este ano e para o próximo.

  • SIC foi à procura de explicações um mês após a fuga de três arguidos do tribunal do Porto
    13:21
  • Seleção nacional defronta hoje a Polónia para a Liga das Nações
    1:44