Mundo

Diretora da Huawei detida no Canadá por suspeitas de violar sanções impostas ao Irão

Diretora da Huawei detida no Canadá por suspeitas de violar sanções impostas ao Irão

China pede a libertação imediata da filha do fundador da empresa.

A China já pediu explicações aos Estados Unidos e ao Canadá por causa da prisão da diretora financeira da Huawei, exigindo a sua libertação. O caso vem ameaçar as tréguas comerciais conseguidas no G20.

Wanzhou Meng, de 46 anos, filha do fundador da Huawei, foi detida no sábado depois de Washington ter pedido a sua extradição por supostamente ter violado as sanções impostas pelas autoridades norte-americanas contra o Irão.

Os representantes chineses protestaram contra as autoridades norte-americanas e canadianas e exigiram que estas corrigissem o erro imediatamente e devolvessem a liberdade a Wanzhou Meng.

"Acompanharemos de perto o desenvolvimento desta questão e tomaremos medidas para proteger resolutamente os legítimos direitos e interesses dos cidadãos chineses", pode ler-se no comunicado.

Na declaração também se refere que a China "se opõe com firmeza e protesta com energia" à detenção "que prejudicou gravemente os direitos humanos da vítima".

As autoridades canadianas anunciaram na quarta-feira que detiveram a diretora financeira da chinesa Huawei Technologies, que agora enfrenta uma possível extradição para os Estados Unidos.

O porta-voz do Departamento de Justiça, Ian McLeod, disse que Meng Wanzhou foi detida em Vancouver no sábado. Meng é também vice-presidente da administração e filha do fundador da empresa, Ren Zhengfei.

  • Esta casa foi construída por uma impressora 3D
    16:27