Mundo

Polícia Marítima salvou 660 migrantes na Grécia em 2018

Polícia Marítima

Ao longo de 2018, foram 340 as ações de patrulha realizadas no mar, totalizando 2.182 horas de navegação.

A Polícia Marítima resgatou em 2018 um total de 660 migrantes, durante travessias marítimas arriscadas no Mar Egeu para tentarem chegar à Grécia, divulgou esta segunda-feira aquela autoridade.

De acordo com um comunicado hoje divulgado, a Polícia Marítima informa que a equipa em missão na ilha grega de Lesbos, desde 1 de janeiro deste ano, "detetou e retirou a salvo das águas do Mar Egeu 660 migrantes de diferentes nacionalidades que, neste fluxo migratório irregular e arriscado por via marítima, tentam entrar na Europa numa travessia entre a Costa da Turquia e da Grécia".

A Viatura de Vigilância Costeira da Polícia Marítima, equipada com radar e câmaras de vigilância de imagem infravermelhos e térmica, que também se encontra nesta missão, realizou 341 ações de vigilância, num total de 2.189 horas de missão, nas quais apoiou 17 missões de busca e salvamento marítimo de migrantes.

Desde o início da operação POSÊIDON em 2014, a Polícia Marítima já detetou e retirou a salvo das águas do Mar Egeu mais de 4.800 migrantes.

A Polícia Marítima encontra-se integrada na operação POSEIDON, sob égide da agência europeia FRONTEX e em apoio à guarda costeira grega, com o objetivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda costeira europeia.

Lusa

  • "EUA continuam a andar para trás em direitos humanos"
    2:02
  • Uma visita personalizada ao museu da BMW
    4:17