Mundo

Centenas de pessoas manifestaram-se contra o "shutdown" em Washington

George Frey

Muitos funcionários estão a trabalhar sem receber enquanto se mantém o impasse sobre o orçamento dos EUA.

Centenas de pessoas manifestaram-se esta quinta-feira em Washington contra a paralisação parcial do governo norte-americano, que entrou no vigésimo dia consecutivo e que já é a segunda mais longa da história.

Sob as gélidas temperaturas de janeiro, enfrentaram o frio para exigir o fim do chamado "shutdown". Cerca de metade dos trabalhadores considerados essenciais para a segurança nacional - como agentes de patrulha de fronteira, guardas prisionais e funcionários do aeroporto - estão neste momento a trabalhar sem receber e outros estão em casa de folga.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem como "queremos trabalhar" e levaram cartazes a alertar para as dificuldades em que se encontram muitas famílias que trabalham para instituições dependentes da administração federal.

A paralisação parcial começou ainda em dezembro, depois de falhadas as negociações entre democratas e republicanos para aprovar o orçamento.

Trump continuar a insistir que o documento deve incluir um pacote de cinco mil milhões de dólares para financiar a construção do muro na fronteira com o México.