Mundo

Começa julgamento de acusado de ataque terrorista a Museu Judaico de Bruxelas

Stringer .

Quatro pessoas morreram no ataque ao Museu Judaico de Bruxelas, em 2014.

O julgamento do francês Mehdi Nemmouche, acusado de assassínio terrorista de quatro pessoas no ataque ao Museu Judaico de Bruxelas, em 2014, e que incorre numa pena de prisão perpétua, iniciou-se hoje no tribunal penal da capital belga.

O tribunal, composto por três juízes e 12 jurados, vai dedicar os primeiros dois dias do julgamento à leitura das 200 páginas da acusação e deverá ouvir mais de cem testemunhas até dia 01 de março.


Se o tribunal decidir que Nemmouche, de 33 anos, é culpado, esta será a primeira condenação de um atentado antissemita cometido em território europeu por um combatente 'jihadista' regressado da guerra na Síria.


Segundo a acusação, o réu é o homem que em 24 de maio de 2014 abriu fogo na receção do Museu Judaico matando, em 82 segundos, quatro pessoas: um casal de turistas israelitas, uma voluntária francesa e um rececionista belga.


O atacante chegou ao museu cerca das 15:50 locais (14:50 em Lisboa) com uma mochila, tendo efetuado os disparos e fugido de seguida num automóvel cuja matrícula foi identificada por algumas testemunhas.


Nemmouche foi detido a 30 de maio em Marselha, no sul da França e estava identificado como 'jihadista' recentemente regressado da Síria onde terá feito reféns, em Alepo, quatro jornalistas franceses, que o identificaram após o atentado em Bruxelas.

Lusa