Mundo

França volta a ser invadida pelos coletes amarelos, mais 34 mil nas ruas

Rafael Yaghobzadeh

É já considerada uma das maiores manifestações contra o aumento dos combustíveis em França com oito mil pessoas em protesto em Paris e cerca de 26 mil no resto do país

Segundo a agência France Press, os números fornecidos este sábado são mais elevados do que os conhecidos a semana passada, na qual se mobilizarem cerca de 26 mil pessoas em todo o país, segundo fonte policial.

Em toda a França estão mobilizados cerca de 80 mil polícias e agentes dos serviços de segurança. Este é o nono sábado de mobilização contra o aumento dos combustíveis, por uma taxação mais justa e contra a queda do poder de compra.

A emblemática torre Eiffel está fechada hoje, tal como uma dezena de museus em Paris, para prevenir qualquer impacto de uma possível manifestação marcada pela violência.

Segundo uma fonte policial, cerca de 90 pessoas foram presas em vários locais do pais e 82 foram estão sob custódia policial.

Há cerca de dois meses que se têm registado confrontos entre manifestantes e a polícia em várias cidades francesas, nomeadamente Paris, Burges, Rouen, Nantes, Nîmes.

Lusa

  • "EUA continuam a andar para trás em direitos humanos"
    2:02
  • Uma visita personalizada ao museu da BMW
    4:17