Opinião

Dois sorrisos em dois anos (ou uma vingança servida fria)

Não é comum um primeiro-ministro, que ganha eleições, não governar. Aconteceu pela primeira vez em democracia, e as ondas de choque viveram-se durante meses.

Ainda é menos comum, esse primeiro-ministro, que ganha eleições mas não consegue formar Governo, ficar sentado na bancada parlamentar do seu partido.
Passos fê-lo, há que dizê-lo, com coragem.
Enfrentou o sucessor, pelo menos de quinze em quinze dias, nos debates.
Era uma luta desigual.
Costa governava, sem ter ganho eleições.
Passos estava na oposição, a responder por quatros anos e tal de Governo duro e a ver, todas as semanas, que o diabo não vinha, que a economia crescia, que o desemprego abrandava, que afinal a geringonça estava em pé e as vacas voavam.
Foi, por vezes, penoso.
Passos era arrasado por Costa, com a habilidade política que se conhece ao líder do PS.
E aguentou, teimosamente.
Ainda via, ao lado, Assunção Cristas fazer de conta que não tinha sido ministra e posicionar-se como a grande oposição ao PS e às esquerdas;
Mas houve dois momentos, em dois anos, em que Passos se soltou.
O primeiro, logo em dezembro de 2015.
Era a estreia de Centeno no Parlamento.
O ministro das Finanças pedia "cuidado" com a banca: discutia-se o BANIF.
Passos, normalmente sisudo e circunspecto, ria a bom rir.
Riu tanto que até tirou os óculos para limpar as lágrimas.
Mais do que uma vez.
(Lusa)

(Lusa)

A segunda vez em que Passos sorriu, assentindo que sim, ou, em bom português, quando nos foge a boca para a verdade, foi quando, noutro debate, Costa, virado para Passos, por duas vezes, lhe chamou "sr. primeiro-ministro".
No seu estilo trapalhão, Costa sorriu e seguiu em frente.
Passos gostou do engano,
Não dizia outra coisa – ainda não diz, hoje – a não ter que tinha "ganho as eleições".
Era, por assim dizer, o primeiro-ministro "legitimamente" eleito.
Costa não lhe chamou sr. deputado, chamou-lhe "sr. primeiro-ministro".
Nesse dia, por duas vezes, em dois anos, Passos ouviu de Costa, o que queria estar a ouvir sempre que entrasse no Parlamento.
E esse sorriso é uma vingança. Fria, pouco a pequena.
Mas um momento saboroso.
  • Marcelo explica porque não aplaudiu discurso de Trump
    0:34

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que não aplaudiu o discurso de Donald Trump nas Nações Unidas porque Portugal acredita no multilateralismo e no diálogo. O Presidente da República sublinhou que a intervenção que vai fazer na quarta-feira vai nesse sentido.

  • O adeus do capitão

    Desporto

    Quinze anos depois da chegada à Luz, Luisão despede-se do clube que o viu despontar para o futebol e onde se conseguiu afirmar como um dos melhores. No dia do adeus, fazemos uma retrospetiva à carreira do capitão mais titulado da história do Benfica.

    André de Jesus

  • Afinal, quem é que merece ser o melhor jogador do mundo?
    2:21

    Desporto

    Luka Modric foi considerado o melhor do mundo pela FIFA. Cristiano Ronaldo foi o grande derrotado da noite, não venceu o prémio principal nem o do melhor golo do ano. As reações não se fizeram esperar. Se uns acham justa a vitória do croata, já outros questionam os critérios do prémio.

  • Bill Cosby considerado predador sexual violento e condenado a pena de prisão

    Mundo

    O ator norte-americano Bill Cosby foi esta terça-feira condenado a uma pena de prisão de três a 10 anos e considerado um "predador sexual violento", por um juiz da Pensilvânia. A classificação significa que o homem de 81 anos terá de receber aconselhamento durante o resto da vida, assim como o seu nome irá aparecer no registo dos criminosos sexuais.

    SIC

  • O que está a mudar na Arábia Saudita

    Mundo

    A luta contra a discriminação de género e as reformas na cultura continuam a dar largos passos, na Arábia Saudita. A mais recente novidade é que, pela primeira vez, uma mulher foi autorizada a apresentar as notícias, na televisão estatal. Desde as mulheres que já podem conduzir ao regresso do cinema, saiba o que está a mudar no país conservador.

    Ana Rute Carvalho

  • A tecnologia que promete melhorar o estacionamento nos centros urbanos
    8:05
  • Um em cada três trabalhadores em risco de esgotamento profissional
    1:11
  • Brasileiro terá escondido provas do caso Lava Jato em casas em Lisboa
    2:15

    Operação Lava Jato

    A Polícia Judiciária fez buscas e apreensões em Lisboa, no âmbito do caso brasileiro Lava Jato. A operação ocorreu a partir de um pedido de cooperação internacional das autoridades brasileiras. O alvo da operação é um homem brasileiro acusado de envolvimento com luvas. Mário de Miranda terá escondido provas e documentos em casas da capital portuguesa.