Opinião

O dia mais feliz das nossas vidas (passe o exagero)

Lá estava ele, tosco, a balançar, ninguém acreditava,

- as borboletas (já) não estavam na barriga,

porque tinham estado pousadas na cara de sofrimento do outro

mas isso foi antes, muito antes, -

estávamos todos ali, colados ao televisor

– ainda dizem que a televisão não faz bem –

De olhos muito abertos,

e coração a bater depressa demais,

Muito depressa, aos altos e baixos, faltava pouco,

Quase nada,

E ele recebeu a bola, irregular,

E ela, a bola, enrolada,

Parece que vai cair, não cai

Segura-se, e segura a bola, ali,

Nos pés, sem parar de correr,

E ganha espaço, e leva mais um.

Já não consegue,

- pensamos todos, todos mesmo

Repito, ninguém acreditava,

Muito menos nele e ele, -

Sabe-se lá como, já ia em treze passos,

- Treze, alguém acredita ? -

Era muito improvável,

«não vai dar em nada»,

Pensamos todos, todos mesmo,

- Ninguém venha,

Agora,

Dizer que acreditava -

E ele chutou…

- Visto em câmara lenta parece

Que demorou muito, -

a bola enrolada

Parecia uma serpentina

Irregular, bate na chão,

Uma vez, duas vezes, ganha efeito.

O guarda redes, ainda há o guarda-redes…

Todo esticado,

- A coisa foi mais rápida,

mas em palavras leva mais tempo -

Todos, todos mesmo, suspensos, naquilo

Do que vai ser, e a bola,

Torcida

serpenteada,

Meia tosca, a bater no chão, na relva

O guarda redes todo esticado,

Vai ser…

Não vai ser

Vai ao lado,

Mas não…

Entrou, direita, junto ao poste…

E ele… a correr, feito louco,

Parecia um jogador de râguebi,

Os outros queriam pará-lo, abraçá-lo,

E ele nada, sempre a correr

Sem parar, sem direcção,

Forte como um forte,

De olhos a brilhar,

Braços abertos, ele,

Quase sozinho, treze passos, um chuto,

A relva, a bola torcida

Ele tinha conseguido, foi

Golo.

Foi mesmo.

Parece que ainda hoje ao ver

A repetição achamos que não vai entrar

Que vai fora

Foi ele, o nosso homem

O nosso herói,

Como no hino,

Ele foi todos, todos fomos ele,

Todos somos ele,

Quem viu aquilo,

Nunca mais se vai esquecer.

Dele. De nós todos,

Dos pequenos contra os grandes.

Daquela vitória.

Daquela noite.

Daquele golo.

O dia mais feliz das nossas vidas.

Da vida dele.

Obrigado, Éder.