Opinião

A entrevista a Fernando Medina

A entrevista a Fernando Medina

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa comentou as propostas partidárias para penalizar a especulação imobiliária, o caso Robles, e a redução nos passes sociais. Fernando Medina analisou ainda a investigação em curso à Torre de Picoas, a governação do Partido Socialista e a continuação à frente da Câmara de Lisboa.

  • “Esta governação tem sido particularmente bem-sucedida"
    2:53

    País

    O presidente da Câmara de Lisboa teceu vários elogios à governação do Partido Socialista, defendendo que o país está “muito melhor” em vários setores. Medina afirma ainda que o PS não tem nenhum problema “identitário” e que a sua ambição é de “dar corpo aos valores da esquerda”.

  • Torre de Picoas “desenvolveu-se de forma correta e transparente”
    4:06

    País

    Fernando Medina recusa responder às afirmações de Fernando Nunes da Silva sobre Manuel Salgado ser o verdadeiro presidente da Câmara Municipal de Lisboa e que o atual não conhece a cidade. O antigo vereador afirma ainda que a Torre de Picoas é “caso de polícia”. Sobre a investigação em curso a este negócio, Medina garante que a câmara vai colaborar, mas que o projeto não é suspeito e desenvolveu-se de forma “pública e transparente”.

  • Medina está a negociar com o Governo um corredor de transportes públicos sobre a A5
    1:48

    País

    Depois de interrompidas as obras na segunda circular por suspeitas de fraude, Medina revela que o compasso de espera para recomeçar está relacionado com outro projeto para Lisboa. O objetivo é introduzir um corredor de transporte público sobre a A5, um dos principais eixos de entrada na capital. Uma medida que garante que já foi apresentada ao Governo e que está em estudo. O autarca adiantou ainda que os municípios de Oeiras e Cascais concordam com a ideia.

  • Medina propõe redução fiscal para contratos imobiliários de longa duração
    5:48

    Economia

    O presidente da Câmara Municipal de Lisboa considera que a autarquia enfrenta um problema que “é preciso atacar” no crescimento acelerado dos preços na habitação. Fernando Medina considera, contudo, que penalizar a rotação no mercado não aumenta o número de casas disponíveis, e que essa deve ser a prioridade. Sobre as propostas apresentadas pelo BE e PSD, Medina é da opinião que não resolvem o problema.