País

Pensos rápidos que detetam quando uma ferida crónica está infetada

Pensos rápidos que detetam quando uma ferida crónica está infetada

A Universidade do Minho está a desenvolver pensos rápidos que detetam quando uma ferida crónica está infetada. O projeto está no início mas já existe um parceiro interessado na comercialização.

  • Piloto que morreu no Estoril terá ficado sem travões
    1:17
  • Empresa de segurança sob suspeita na Guarda
    4:47
  • O embaraço do príncipe Harry
    0:29