País

Pensos rápidos que detetam quando uma ferida crónica está infetada

Pensos rápidos que detetam quando uma ferida crónica está infetada

A Universidade do Minho está a desenvolver pensos rápidos que detetam quando uma ferida crónica está infetada. O projeto está no início mas já existe um parceiro interessado na comercialização.

  • O sonho americano
    12:13
  • Mantém-se impasse no Brexit
    2:14