País

Preço das casas em Portugal aumentou 6,8%

(REUTERS/ ARQUIVO)

O preço das casas em Portugal aumentou 6,8% durante o primeiro trimestre deste ano em relação ao último trimestre de 2016, com exceção da região do Alentejo, que registou uma descida, segundo dados da plataforma imobiliária Idealista, divulgados esta terça-feira.

"Excluindo o Alentejo, todas as regiões assistiram a um aumento de preços", de acordo com o índice de preços da plataforma Idealista, indicando que o preço médio da habitação em Portugal situou-se nos 1.442 euros por metro quadrado.


No primeiro trimestre deste ano, face ao último trimestre de 2016, as regiões em que mais subiu o preço das casas foram Lisboa (10,1%), Madeira (7%) e Algarve (6,7%), seguindo-se as regiões Norte (5,1%) e Centro (2,8%).


A contrariar a subida generalizada do preço das casas em Portugal, os proprietários da região do Alentejo "pedem menos 3,2% pelas casas", de acordo com o índice de preços.


Em relação ao preço, Lisboa continua a ser a região mais cara para comprar casa, com os valores médios a rondar os 1.959 euros por metro quadrado, seguida pelo Algarve (1.554 euros por metro quadrado) e pela Madeira (1.173 euros por metro quadrado).
Os valores mais baixos a pagar pelas casas encontram-se nas regiões Centro (915 euros por metro quadrado), Alentejo (996 euros por metro quadrado) e Norte (1.051 euros por metro quadrado).


Por distritos, as maiores subidas dos preços aconteceram em Lisboa (11,9%), Madeira (7%) e Faro (6,7%), segundo a plataforma imobiliária, referindo que, "face ao quarto trimestre de 2016, 14 distritos viram os preços subirem no primeiro trimestre deste ano".


"Já a maior descida foi registada em Beja (6,3%), seguida por Portalegre (5,4%) e Bragança (3,7%)", avançou o índice de preços.
Em termos de valores, o 'ranking' dos distritos mais caros é liderado por Lisboa (2.285 euros por metro quadrado), seguindo-se Faro (1.554 euros por metro quadrado) e Madeira (1.171 euros por metro quadrado).
Os preços mais económicos para comprar casa encontram-se nos distritos de Bragança (628 euros por metro quadrado), Guarda (665 euros por metro quadrado) e Portalegre (668 euros por metro quadrado).


Quanto às capitais de distrito, a subida mais acentuada foi no Porto (10,8%), seguida por Lisboa (9,8%) e Leiria (8,4%).
"Durante o primeiro trimestre deste ano, foram 13 as capitais de distrito que viram um aumento nos preços", segundo a mesma fonte.
Por outro lado, as capitais de distrito que registaram uma descida do preço das casas foram Beja (6%), Portalegre (4,7%) e Bragança (2,7%).
"Lisboa continua a ser a capital de distrito onde é mais caro comprar, custando 3.549 euros por metro quadrado", revelou o índice, destacando também o Porto (1.770 euros por metro quadrado) e Funchal (1.351 euros por metro quadrado).


Os dados da plataforma Idealista indicam ainda que as capitais de distrito mais económicas para comprar casa são Bragança (616 euros por metro quadrado), Braga (692 euros por metro quadrado) e Castelo Branco (712 euros por metro quadrado).


Para a realização do mais recente índice de preços da plataforma imobiliária Idealista, usada em Portugal para comprar, vender ou arrendar foram analisados "51.601 anúncios que estão ou já estiveram anunciados na base de dados do Idealista, entre 26 de dezembro de 2016 e 27 de março de 2017".

Lusa

  • Ex-espião Silva Carvalho relata em livro práticas ilícitas

    País

    O ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas e de Defesa Silva Carvalho, condenado em 2016 por violação do Segredo de Estado, assume práticas ilícitas enquanto operacional das secretas portuguesas, num livro que vai ser publicado na próxima sexta-feira.

  • O avô que se dedica a abraçar bebés prematuros

    Mundo

    "O avô da unidade de cuidados intensivos". É assim que as enfermeiras do Hospital Children's Healthcare de Atlanta, nos EUA, chamam a David Deutchman, um homem de 82 anos que, há 12 anos, vai à UCI dois dias por semana para abraçar os recém-nascidos.