País

Excesso de suplementos de vitamina D tem explicação económica

O presidente da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo alertou hoje que o excesso de prescrição de suplementos de vitamina D na população portuguesa tem uma explicação económica e lembrou que nas consultas não vê doentes raquíticos.

"A suplementação de vitamina D tem uma explicação económica. Num país como o nosso, com sol, não faz sentido. Basta uma exposição de 15 minutos, fora do horário vermelho, para a pele produzir a vitamina D necessária. E no consultório não vejo ninguém raquítico", afirmou António Picoto.

O especialista em dermatologia falava na conferência de imprensa de apresentação dos últimos dados sobre cancro de pele e da campanha deste ano para o Dia dos Cancros da Pele (Dia do Euromelanoma), em resposta à agência Lusa a propósito da investigação que está a ser feita pelas autoridades sobre o aumento do consumo e das despesas com este suplemento vitamínico.

Por causa dos gastos com os suplementos de vitamina D, que dispararam nos últimos anos, o Infarmed, a Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Ricardo Jorge (INSA) já anunciaram uma avaliação "firme e rigorosa" do diagnóstico e tratamento deste défice vitamínico.

O especialista da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo lembrou ainda que é um engano pensar-se que os solários fornecem vitamina D, uma vez que as lâmpadas usadas são de raios ultravioleta A (UVA) e para a produção de vitamina D são necessários os UVB.

O especialista considera importante perceber-se qual a origem dos défices que têm sido detetados nos portugueses, lembrando que foram identificados inclusive valores diferentes consoante os laboratórios.

Dados recolhidos pelo Infarmed mostram uma duplicação dos encargos entre 2015 e 2016, valor que quintuplicou em dois anos, passando de 1,1 milhões de euros para 5,7 milhões, incluindo medicamentos com e sem comparticipação.

O financiamento no Serviço Nacional de Saúde (SNS) aumentou num ano de 779 mil euros para 2,1 milhões.

Para o Infarmed, "estes valores, só por si, não permitem concluir que há um sobretratamento do défice de Vitamina D", mas "a discrepância de valores nos resultados publicados em dois estudos diferentes justifica uma avaliação profunda e esclarecedora nesta área".

Segundo a autoridade do medicamento, esta investigação está a ser efetuada em diversas vertentes, desde logo relativamente às metodologias utilizadas na determinação dos níveis sanguíneos de vitamina D, à racionalidade clínica na prescrição de medicamentos com vitamina D e às práticas promocionais daqueles medicamentos por parte das empresas farmacêuticas.

Lusa

  • Diretor artístico demite-se do Museu de Serralves
    2:44

    Cultura

    Estão ainda por esclarecer as razões da demissão do diretor artístico do Museu de Serralves. João Ribas apresentou a demissão esta sexta-feira, um dia depois da inauguração da exposição do fotógrafo Robert Mapplethorp. A demissão foi associada a restrições a algumas imagens de cariz sexual explícito. Mas a Fundação de Serralves garante que foi o próprio João Ribas quem decidiu retirar duas obras da exposição. E sublinha que estava decidido desde o início apresentar as obras de cariz sexual explícito numa zona com acesso restrito.

  • Relação do Porto mantém em liberdade dois homens que violaram mulher inconsciente
    1:27

    País

    Há mais uma polémica em torno de uma decisão do tribunal da Relação do Porto. Chamada a reavaliar uma decisão da 1.ª Instância, a Relação entendeu que devia manter em liberdade dois homens que, em 2016, violaram uma mulher quando ela estava inconsciente. Os juízes dizem que a culpa dos dois homens é "mediana" e que a "ilicitude não é elevada".

  • Personalidades do futebol dizem que Ronaldo foi vítima de excesso de zelo
    2:03

    Desporto

    A UEFA vai anunciar o castigo de Cristiano Ronaldo na próxima quinta-feira, depois do cartão vermelho que o internacional português recebeu no jogo da Liga dos Campeões. O castigo pode ir de um a três jogos de suspensão. Várias personalidades do mundo do futebol acreditam que o jogador foi vítima do excesso de zelo do árbitro.