País

SIC vence prémio de jornalismo contra a indiferença

SIC vence prémio de jornalismo contra a indiferença

Uma reportagem vencedora e duas menções honrosas. A SIC voltou a ser destacada este ano pelo Prémio AMI - jornalismo contra a indiferença.

Três vezes em cinco a decisão do júri recaiu sobre o trabalho da SIC ao destacar, com duas menções honrosas, a rubrica "Eu é que sou o presidente da junta" e a grande reportagem "Angola" e, como um dos dois trabalhos vencedores, a reportagem "Renegados".

A cerimónia foi presidida por Marcelo Rebelo de Sousa, que no discurso fez questão de apelar a que dê continuidade à luta por um jornalismo de causas

A reportagem da SIC partilhou o prémio com o trabalho do Público "Racismo em português".

  • Angola, um país rico com 20 milhões de pobres
    44:31

    Grande Reportagem SIC

    Na última década, registou um dos maiores crescimentos económicos do mundo mas manteve-se líder nos índices de mortalidade infantil. Uma semana depois de se assinalarem os 41 anos da independência de Angola, a Grande Reportagem SIC mostra-lhe um país que tem um dos maiores consumos de champanhe per capita e onde 70% da população vive com menos de dois dólares por dia.

  • Renegados
    35:53

    Grande Reportagem SIC

    Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada. A Grande Reportagem da SIC, Renegados, mostra-lhe vários casos de pessoas que já passaram por essa situação.

  • Ex-espião Silva Carvalho relata em livro práticas ilícitas

    País

    O ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas e de Defesa Silva Carvalho, condenado em 2016 por violação do Segredo de Estado, assume práticas ilícitas enquanto operacional das secretas portuguesas, num livro que vai ser publicado na próxima sexta-feira.

  • O avô que se dedica a abraçar bebés prematuros

    Mundo

    "O avô da unidade de cuidados intensivos". É assim que as enfermeiras do Hospital Children's Healthcare de Atlanta, nos EUA, chamam a David Deutchman, um homem de 82 anos que, há 12 anos, vai à UCI dois dias por semana para abraçar os recém-nascidos.