País

Polícias juntos em protesto em Lisboa

Rafael Marchante

Elementos da PSP, GNR, SEF, ASAE, Polícia Marítima e guarda prisional manifestam-se hoje em Lisboa para exigir o descongelamento das carreiras e protestar contra a falta de investimento das forças e serviços de segurança.

A manifestação, que vai decorrer a partir das 17:30 entre o Marquês de Pombal e o Ministério das Finanças, no Terreiro do Paço, é organizada pela Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, que congrega as estruturas mais representativas do setor da segurança interna, mas também vai contar com outros sindicatos da PSP e associações da GNR que não fazem parte da CCP.

"Esta manifestação é aberta a todos os profissionais das forças e serviços de segurança, não só dentro da CCP.

Quase a maioria dos sindicatos da PSP e as associações da GNR vão participar na ação de protesto", disse à agência Lusa César Nogueira, presidente da Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e secretário nacional da CCP.

César Nogueira adiantou que há "um grande descontentamento", tendo em conta que continuam as dúvidas sobre o descongelamento das carreiras em 2018 dos elementos das forças e serviços de segurança e a falta de investimento no setor.

"Apesar da ministra [Notes:Administração Interna] já ter reunido com sindicatos da PSP. Isso já não é novo, já outros governos tentaram a desmobilização. Para já, não sabemos concretamente nada se o Governo vai ou não desbloquear as carreiras", afirmou.

Segundo César Nogueira, a ministra apenas disse que caso as carreiras sejam desbloqueadas na função pública, elas serão também desbloqueadas paras as forças e serviços de segurança.No entanto, o presidente da APG referiu que a ação de protesto não está apenas relacionada com o descongelamento das carreiras, existindo várias questão previstas no Orçamento do Estado deste ano que já deviam estar resolvidas.

"Não tem havido investimento praticamente nenhum nas forças e serviços de segurança, apesar de ter sido aprovada uma lei de programação das infraestruturas e equipamentos, ainda nem um único cêntimo foi aplicado", sustentou.Segundo César Nogueira, instalações e um parque automóvel degradado e a falta de equipamento básico, como algemas, são problemas que continuam por resolver, além de existir carências ao nível do efetivo.

A Comissão Coordenadora Permanente dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança volta hoje a manifestar-se, depois de ter organizado dois protestos, em novembro de 2013 e março de 2014, que contaram com a maior adesão de sempre de polícias e terminaram com a invasão das escadarias da Assembleia da República.

Com Lusa

  • José Peseiro garante que leões estão "preparados para vencer"
    1:52

    Liga Europa

    José Peseiro garante que a equipa do Sporting está preparada o arranque da competição. A equipa leonina não conta com Bas Dost que está lesionado e falha os próximos jogos. Os leões estreiam-se hoje na Liga Europa, em casa, com o Qarabag do Azerbaijão. A SIC transmite o encontro em directo a partir das 20:00.

  • Gosta de atum? Procuram-se voluntários
    1:35
  • Suspeito de agredir bebé terá dito à polícia que perdeu a cabeça ao ouvir o choro
    2:18

    País

    O homem terá confessado à PSP e mais tarde também ao Ministério Público que perdeu a cabeça perante o choro permanente do bebé de 17 meses, filho da atual companheira. Apesar de ter confessado a agressão saiu em liberdade depois de ser ouvido em tribunal. Não chegou sequer a ser interrogado por um juiz de instrução criminal e apesar da gravidade dos factos, o Ministério Público não viu razões para aplicar qualquer medida de coação.

  • Novos e-mails põem em causa valores da saída de Garay do Benfica
    2:44

    Desporto

    O pirata informático suspeito de ter desviado centenas de e-mails do Benfica revelou mais material, alegadamente comprometedor. Segundo uma mensagem alegadamente trocada entre Luís Filipe Vieira e Paulo Gonçalves, publicada esta quarta-feira na internet, o negócio da venda de Garay poderá ter sido feito por 13 milhões de euros e não por 6, como foi anunciado.