País

Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

Marcos Borga/Visão

Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

No mesmo contacto, Paula Brito e Costa pede que lhe seja enviada documentação de trabalho e explica que agora trabalha a partir de casa.

Na última entrevista que deu ao jornal Expresso, a ex-presidente da Raríssimas explicava que para além de presidente, tinha um contrato como diretora-geral e que era por esse cargo que recebia remuneração.

Paula Brito e Costa só hoje apresentou o pedido de demissão formal, numa carta digitalizada enviada ao presidente da assembleia geral da associação.

Esta manhã, os funcionários da Raríssimas juntaram-se na Casa dos Marcos, sede da associação, para se demarcarem das suspeitas de irregularidades e apelarem ao primeiro-ministro para que seja nomeada uma comissão que garanta o funcionamento e o acesso ao dinheiro.

  • Trabalhadores da Raríssimas pedem "alguém que seja idóneo e competente"
    2:29

    País

    Os funcionários da Raríssimas temem que a associação encerre por falta de dinheiro para o funcionamento básico da instituição. Esta manhã, a coordenadora do departamento jurídico, Manuela Duarte Neves, sublinhou que estão sem acesso às contas bancárias e pediu ao primeiro ministro para nomear uma comissão que garanta o funcionamento e o acesso ao dinheiro.

  • Coordenadora da Raríssimas "nada sabe" sobre alegados documentos em falta
    0:25

    País

    A coordenadora do Departamento Jurídico da Raríssimas confirmou esta quinta-feira a presença de inspetores na Casa dos Marcos. Manuela Duarte Neves - que aparecia na mesma sala do que Paulo Brito e Costa, na reportagem que denunciou o caso - evita no entanto comentar detalhes sobre a forma como está a decorrer a inspeção. Nomeadamente, se há documentos em falta.

  • António Costa tranquiliza trabalhadores e utentes da Raríssimas
    0:59

    País

    Na primeira reação ao caso Raríssimas, António Costa disse esta quinta-feira que o Estado tudo fará para garantir que a associação não veja descontinuada a atividade. O primeiro-ministro garantiu ainda que o apoio continuará a chegar a quem necessita. As declarações surgem após o pedido dos funcionários da Raríssimas ao chefe de Governo para que seja nomeada uma comissão que garanta o funcionamento e o acesso ao dinheiro.

  • Primeiro-ministro sai em defesa de Vieira da Silva
    0:50

    País

    António Costa disse esta quinta-feira que mantém "total confiança política" no ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Em Bruxelas, na primeira reação ao caso Raríssimas, o primeiro-ministro saiu em defesa de Vieira da Silva.

  • O envolvimento de Vieira da Silva no caso Raríssimas
    1:39

    País

    As suspeitas em redor da associação Raríssimas têm trazido a lume o nome do ministro do Trabalho e da Segurança Social. Vieira da Silva participou na reunião que aprovou as contas que agora estão a ser investigadas. Para muitos comentadores, era até agora o elemento mais sólido do governo socialista.

  • Raríssimas apresentada como fundação com o conhecimento de Vieira da Silva
    1:32

    País

    Vieira da Silva sabia que Paula Brito e Costa apresentava a Raríssimas como fundação, quando na verdade é uma IPSS. Há dois meses, o ministro do Trabalho e da Segurança Social chegou a presenciar a assinatura de um protocolo de cooperação entre a instituição portuguesa e uma associação sueca. Um ex-funcionário da Raríssimas garantiu à SIC que Vieira da Silva e a mulher, Sónia Fertuzinhos, são amigos de Paula Brito e Costa.

  • Vacina da gripe disponível a partir de hoje

    País

    A vacina da gripe começa hoje a estar disponível, sendo gratuita e sem necessidade de receita médica no Serviço Nacional de Saúde para pessoas a partir dos 65 anos, residente em lares e para alguns doentes crónicos.

  • Chegou a Portugal a primeira sala onde é possível destruir tudo
    1:51
  • Bolsonaro continua à frente nas sondagens
    1:49

    Mundo

    O candidato à presidência do Brasil Jair Bolsonaro continuar a ganhar terreno, a duas semanas da segunda volta das eleições. A campanha eleitoral brasileira está a ser marcada por violência. Cerca de 60 jornalistas foram agredidos enquanto faziam cobertura da campanha.