País

Balanço da Operação Ano Novo com menos acidentes e menos mortes

A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou nos cinco dias da Operação Ano Novo menos acidentes e menos vítimas mortais do que na operação de 2016/2017.

Terminou à meia-noite a Operação Ano Novo da GNR. O major Paulo Gomes fez o balanço na Edição da Manhã.

De acordo com os últimos dados, foram registados na Operação Ano Novo deste ano, que durou mais um dia do que a do ano passado, 858 acidentes, três vítimas mortais e 10 feridos graves. A GNR registou ainda um total de 339 feridos ligeiros.


A Guarda Nacional Republicana intensificou desde sexta-feira (dia 29) e até às 24 horas de terça-feira o patrulhamento rodoviário nas vias de maior tráfego no âmbito da Operação Ano Novo.


De acordo com a GNR, o reforço do patrulhamento nas estradas teve como objetivo "prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança".

  • Ryanair acusada de compactuar com atitude racista de passageiro
    1:36

    Mundo

    Numa nova polémica a envolver a Ryanair, a companhia aérea low cost é acusada de compactuar com uma atitude racista, depois de um passageiro ter obrigado um comissário de bordo a mudar uma mulher negra de lugar. O caso já está a ser investigado pelas autoridades.

  • Barco com refugiados afunda a poucos metros da costa da Turquia
    2:21
  • Três homens em fuga após tentativa de assalto a banco em Oeiras
    0:55

    País

    Durante a madrugada desta segunda-feira, três homens tentaram assaltar um banco em Oeiras. Os assaltantes chegaram a entrar nas instalações do banco, mas foram detetados por um elemento da empresa de segurança privada, que estava de serviço, e conseguiram fugir.

  • Maior ponte marítima do mundo reduz para 45 minutos uma viagem de 4 horas
    0:56
  • Marques Mendes elogia ministro Siza Vieira por pedir escusa de certas decisões
    1:11

    Opinião

    Luís Marques Mendes diz que o Tribunal Constitucional vai arquivar o caso de eventual incompatibilidade do ministro Siza Vieira. Em causa está o facto de ter acumulado nos primeiros meses de exercício como ministro-adjunto o cargo de sócio-gerente de uma empresa. O comentador da SIC diz que o arquivamento acontece porque o ministro mudou de cargo. Sobre a situação atual, Marques Mendes não vê incompatibilidade e elogia atitude do ministro ao pedir escusa de certas decisões.

  • Uma semana depois da tempestade Leslie
    3:02
  • Adoções por militares dos EUA eram vistas na Terceira como uma bênção para as crianças
    5:16
  • Maior ponte marítima do mundo reduz para 45 minutos uma viagem de 4 horas
    0:56