País

Caixão com ossada de centenas de anos descoberto em igreja na Baixa lisboeta

(Arquivo)

Stefan Wermuth

Um caixão com uma ossada de centenas de anos foi descoberto este sábado na igreja de S. José dos Carpinteiros, na baixa lisboeta, comunicou o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (PSP).

De acordo com as informações do oficial de dia do comando da PSP na capital, os funcionários de uma empresa de construção civil que estão a intervir na igreja "estavam a proceder a obras quando uma parede, em madeira, quebrou e se descobriu o caixão".

As caraterísticas do caixão permitiram supor que as ossadas "têm centenas de anos", como referiu o comissário Figueiredo.

O caixão, descoberto de manhã, foi removido pela PSP a meio da tarde, depois da devida autorização judicial.

O templo de S.José dos Carpinteiros, na rua de São José, foi elevado a igreja em 1567, tendo sido reedificado após o terramoto de 1755, obedecendo à arquitetura barroca e pombalina.

Foi nesta igreja que foi batizado o poeta Alexandre O'Neill.
Lusa

  • PSP divulga fotos dos fugitivos do Tribunal do Porto e reforça dispositivo para capturar os três suspeitos
    1:16
  • "Acabámos com 6 jogadores da formação na equipa"
    1:27

    Desporto

    No final do jogo, João Manuel Pinto, treinador do Sertanense, mostrou-se orgulhoso com o trabalho da equipa, que joga no terceiro escalão do futebol português. Já Rui Vitória preferiu destacar a qualidade dos jogadores do Benfica que, apesar de serem menos utilizados neste inicio de época, estiveram em evidência.

  • "Pedro Proença quer que eu saia a todo o custo"
    3:00
  • Chuvas fortes afetam várias regiões em Espanha

    Mundo

    As chuvas fortes que afetam desde quinta-feira Espanha, as mais intensas da última década, estão a provocar problemas em várias regiões, em especial nas províncias da Comunidade Valenciana, mas sem registo de ocorrências graves nem danos pessoais.

  • Sextortion, o novo método de chantagem sexual na Internet
    2:17
  • Destruído mural de Vhils em Alcântara

    Cultura

    O mural, criado por Vhils, na parede da antiga fabrica da Sidul na Avenida da Índias, em Lisboa, foi esta quinta-feira destruído para dar lugar a um empreendimento urbanístico.