País

Celtejo acusa inspeção de "incompetência" e diz-se penalizada

Celtejo acusou a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território de "incompetência" na recolha das amostras nos coletores da empresa e vincou que a situação "é profudamente penalizadora".

Fonte da Celtejo, fábrica de pasta de papel da Altri, em Vila Velha de Ródão, disse à agência Lusa não compreender o atraso na recolha das amostras por parte da Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT).


A empresa adiantou que as amostras sempre foram recolhidas normalmente e que outras autoridades o fizeram em simultâneo sem que tenha havido qualquer problema.


"Mas essa é uma questão que só o IGAMAOT pode explicar, uma vez que os seus técnicos não conseguiram realizar a recolha, ao contrário do que aconteceu com os coletores da Celtejo e da Administração da Região Hidrográfica (ARH) que funcionaram normalmente", frisou.


A recolha de amostras na Celtejo só foi possível à quarta tentativa e com o recurso a três inspetores em permanência durante 24 horas, disse na segunda-feira o inspetor-geral da IGAMAOT, Nuno Banza, numa conferência de imprensa de apresentação dos resultados das análises efetuadas aos efluentes das ETAR urbanas e industriais descarregados no rio Tejo.


"A recolha de amostras na indústria Celtejo teve por duas vezes problemas ao nível do coletor automático que não recolheu o líquido por razões que desconhecemos. Na terceira tentativa, pedimos o apoio da GNR, do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente e esse coletor foi guardado. Durante 24 horas o coletor funcionou, no entanto, apenas recolheu no final alguma espuma e muito pouco líquido", declarou Nuno Banza.


Fonte da fábrica de Vila Velha de Ródão afirmou à Lusa que "a incompetência na recolha, mesmo com a presença das autoridades em permanência no local, é profundamente penalizadora para a Celtejo"


Na terça-feira, o proTejo-Movimento pelo Tejo acusou também a IGAMAOT de "incompetência" na recolha de amostras na sequência do episódio de poluição registada no rio.


O Ministério Público notificou hoje a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território de que os elementos recolhidos no âmbito do inquérito sobre a poluição no Tejo estão em Segredo de Justiça.


Em nota divulgada hoje, a IGAMAOT explica que recebeu uma notificação do Departamento de Investigação e Ação Penal de Castelo Branco sobre o inquérito por crime de poluição no rio Tejo.

Lusa

  • Situação da Celtejo em análise
    8:26

    Opinião

    O Ministério do Ambiente resolveu manter a restrição à fábrica Celtejo reduzindo para metade as águas residuais despejadas no Tejo pela estação de tratamento. Os resultados das análises feitas às amostras ainda não são conhecidos. O engenheiro Jorge Monteiro, professor do Instituto Superior Técnico, foi convidado da Edição da Noite para analisar a situação da Celtejo.

  • Centeno lembra que Grécia terá mais responsabilidades com fim do resgate
    1:05
  • Temperaturas altas colocam Portugal Continental sob aviso amarelo
    4:23
  • Governo quer retirar concessão de autoestradas à empresa que geria ponte de Génova
    1:50
  • Portugueses são dos que menos gastam em viagens turísticas

    Economia

    Os portugueses são dos cidadãos europeus que menos gastam em deslocações de turismo, ao desembolsar em média 136 euros por viagem turística, menos de metade da média da União Europeia, de 336 euros, revelam dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

  • Sul-coreanos atravessam fronteira do norte para reencontro histórico
    1:07