País

Tempo vai piorar nos próximos dias

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou para o agravamento das condições meteorológicas nos próximos dias, com previsão de aumento da agitação marítima, com chuva pontualmente forte, trovoada, vento igualmente forte e queda de neve.

"Segundo o IPMA [Instituto Português do Mar e da Atmosfera] , prevê-se nos próximos dias o agravamento das condições meteorológicas, nomeadamente aumento da agitação marítima (em toda a costa), precipitação (pontualmente forte), instabilidade (trovoada), vento forte (possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos), e queda de neve", refere a ANPC, em comunicado divulgado cerca das 20:00 de hoje.


No aviso à população, a ANPC refere que o IPMA prevê "períodos de chuva, por vezes forte, passando a regime de aguaceiros, com possibilidade de queda de granizo, para os distritos do Porto, Vila Real, Viseu e Aveiro até às 00:00" de quinta-feira.


A nota indica que "haverá o agravamento da agitação marítima a norte do Cabo Raso", a partir das 21:00 de hoje, "com ondas de cinco a seis metros", prevendo-se que a situação se mantenha até às 18:00 de quinta-feira.


Na sexta-feira é esperada a diminuição da ondulação para quatro a cinco metros.


O vento "vai soprar forte com rajadas máximas de 80 km/h", para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Leiria, até à 01:00 de quinta-feira.


Nas terras altas as rajadas podem atingir 100 Km/h.


Está ainda prevista a queda de neve até à cota de 1.000 metros, nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança e Guarda entre as 18:00 de hoje e as 09:00 de quinta-feira.


A ANPC refere que devido ao agravamento das condições meteorológicas podem ocorrer danos em estruturas, queda de árvores, cheias rápidas em meio urbano, formação de lençóis de água, desabamentos ou acidentes na orla costeira, aconselhando a população a adotar os comportamentos adequados.

Lusa

  • Vento e chuva provocam danos na região de Lisboa
    2:38

    País

    Na zona de Lisboa, o vento forte provocado pela depressão Gisele acabou por deitar abaixo um painel de publicidade sobre uma superfície comercial em Mem-Martins. Em Santarém, a chuva forte obrigou a que fosse demolido um edifício em ruína, para prevenir a sua derrocada.

  • 250 mil euros em estragos em pontões e acessos costeiros no Algarve
    1:12

    País

    O ministro do Ambiente visitou esta quarta-feira as zonas mais afetadas pelas últimas tempestades, no Algarve. Os estragos em pontões e acessos costeiros estão avaliados em 250 mil euros. O fundo do Ambiente deve pagar os pequenos estragos, mas as câmaras têm de fechar a lista de estragos até terça-feira.

  • Os estragos provocados pela depressão Gisele no norte do país
    3:29

    País

    Na região norte, a depressão Gisele deixou um rasto de várias árvores caídas, inundações e quedas de estruturas. Três pessoas ficaram feridas na Maia devido à queda do telhado do edifício da Porto Editora. Mais a norte, em Esposende, um fenómeno semelhante a um tornado fez dois feridos ligeiros e provocou estragos em pelo menos seis habitações.