País

Francês de 76 anos morreu ao cair das escadas da muralha de Óbidos

Um francês de 76 anos morreu hoje depois de ter caído das escadas da muralha de Óbidos, informou o Hospital das Caldas das Rainha.

O homem "sofreu uma queda nas escadas de acesso à muralha, junto à porta da vila, da qual resultaram ferimento graves", disse à agência Lusa Patrícia Reis, adjunta do comando dos bombeiros de Óbidos.

A queda, de cerca de quatro metros de altura, ocorreu às 14:10, tendo o homem, de 76 anos e nacionalidade francesa, sofrido "politraumatismos", acrescentou.

A vítima foi transportada ao hospital das Caldas da Rainha "em manobras de reanimação" onde, segundo o diretor clínico, António Curado, deu entrada "às 15:38, já cadáver".

No local estiveram nove elementos dos Bombeiros de Óbidos, apoiados por três viaturas, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital das Caldas da Rainha e uma patrulha da GNR de Óbidos.

Lusa

  • Papa Francisco - entre a vulnerabilidade de um abalo e a oportunidade de uma reforma

    Papa e a tensão na Igreja

    Não é o tempo cronológico que define Francisco, mas o tempo da oportunidade, sem necessariamente sintonizar a ação com o tempo mediático. Esta circunstância pode dar um bom enquadramento de leitura para o «escândalo» dos abusos sexuais por parte de clérigos católicos. Mas o impacto mediático gerado pelo relatório da Pensilvânia e pela carta de um arcebispo a pedir a resignação do Papa, com a visita à Irlanda como pano de fundo, acabou por criar também uma oportunidade. Os próximos meses são por isso fulcrais para atenuar os danos e reconstruir laços de confiança nas instituições. Não há folga para oportunidades desperdiçadas. A pressão é elevada. A dimensão mediática não terá sido devidamente valorizada. Francisco ficou mais exposto às críticas e aos críticos.

    Joaquim Franco

  • Piloto que morreu no Estoril terá ficado sem travões
    1:17
  • Empresa de segurança sob suspeita na Guarda
    4:47
  • O embaraço do príncipe Harry
    0:29