País

Greve dos ferroviários terminou ao meio-dia, novo protesto marcado para o São João

Greve dos ferroviários terminou ao meio-dia, novo protesto marcado para o São João

A greve dos trabalhadores ferroviários iniciada ontem terminou ao meio-dia. Durante esta madrugada, e tal como havia acontecido ontem, mais de metade das composições nas linhas a sul de Coimbra não circulou. No total, foram suprimidos 134 dos 255 comboios programados. Depois da paralisação na véspera do Santo António, segue-se o mesmo para o São João, no Porto.

  • Segunda greve da CP no espaço de uma semana marcada pela supressão de percursos
    7:19

    Economia

    Começou ao meio-dia desta terça-feira uma greve de 24 horas dos trabalhadores ferroviários. Atrasos na circulação de comboios e a supressão de alguns percursos são as consequências previstas. Todos os serviços serão afetados, excepto os urbanos do Porto. O Governo diz que não vai mexer no regulamento que está em vigor há cerca de 20 anos. Está marcada uma nova paralisação para 23 e 24 de junho, para os trabalhadores a norte de Coimbra.

  • "Acabámos com 6 jogadores da formação na equipa"
    1:27

    Desporto

    No final do jogo, João Manuel Pinto, treinador do Sertanense, mostrou-se orgulhoso com o trabalho da equipa, que joga no terceiro escalão do futebol português. Já Rui Vitória preferiu destacar a qualidade dos jogadores do Benfica que, apesar de serem menos utilizados neste inicio de época, estiveram em evidência.

  • "Pedro Proença quer que eu saia a todo o custo"
    3:00
  • Chuvas fortes afetam várias regiões em Espanha

    Mundo

    As chuvas fortes que afetam desde quinta-feira Espanha, as mais intensas da última década, estão a provocar problemas em várias regiões, em especial nas províncias da Comunidade Valenciana, mas sem registo de ocorrências graves nem danos pessoais.

  • Sextortion, o novo método de chantagem sexual na Internet
    2:17
  • Destruído mural de Vhils em Alcântara

    Cultura

    O mural, criado por Vhils, na parede da antiga fabrica da Sidul na Avenida da Índias, em Lisboa, foi esta quinta-feira destruído para dar lugar a um empreendimento urbanístico.