País

40 detidos em megaoperação da PJ contra grupo motard

Pelo menos 40 pessoas foram detidas hoje numa investigação com foco no grupo de motards Hells Angels. A Polícia Judiciária tem cerca de 80 mandatos de detenção para suspeitos com "larga experiência na área da criminalidade violenta e organizada".

Última atualização às 10:46

Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República confirma a operação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT):

"A operação insere-se no âmbito de vários inquéritos em que se investigam as atividades ilícitas desenvolvidas em território nacional pela organização Hells Angels Motorcycle Club (HAMC). "

A Polícia Judiciária, também numa nota enviada à imprensa, acrescenta:

"No dia de hoje foram executados cerca de oitenta mandados de busca e cumpridas dezenas de mandados de detenção de suspeitos de integrarem esta estrutura criminosa, constituída por indivíduos extremamente perigosos, com vastos antecedentes criminais e larga experiência na área da criminalidade violenta e organizada."

Em causa estão suspeitas de associação criminosa, tentativas de homicídio e ofensas graves à integridade física, tráfico de armas e droga.

O processo está relacionado com as agressões entre grupos motards rivais num restaurante do Prior Velho, nos arredores de Lisboa, em março deste ano.

"Os detidos irão ser presentes a partir de amanhã a primeiro interrogatório judicial para a aplicação das medidas de coação", adianta o comunicado da PGR e da PJ.

A operação do Departamento Central de Investigação Criminal está a ser coordenada pela Unidade Nacional Contra o Terrorismo da PJ e decorre em cidades como o Porto, Aveiro, Lisboa, Almada, Setúbal e Faro. Estão a ser realizadas buscas domiciliárias e nas sedes do grupo, de norte a sul do país.