País

Comissão ténica vai avaliar o custo do descongelamento das carreiras dos professores

ANT\303\223NIO PEDRO SANTOS

O ministério da Educação e os sindicatos dos professores acordaram hoje a criação de uma comissão técnica para avaliar quanto custa o descongelamento integral das carreiras.

Na reunião entre os representantes do Ministério da Educação e os sindicatos dos professores ficou acordado que seria criada uma comissão técnica, que terá como função analisar o custo do descongelamento das carreiras. Na base destas negociações está a exigência por parte dos docentes de serem contabilizados nove anos, quatro meses e dois dias do tempo de serviço prestado.

Os resultados deste levantamente só serão conhecidos em setembro, antes da aprovação do Orçamento do Estado para 2019.

Mesmo assim, no final da reunião, Mário Nogueira, líder da FENPROF, anunciou uma nova paralisação dos professores para a primeira semana de outubro e uma manifestação para dia 5 desse mês. Acrescentou ainda que a greve às reuniões de avaliação vai manter-se até dia 13, sexta-feira.

  • "Acabámos com 6 jogadores da formação na equipa"
    1:27

    Desporto

    No final do jogo, João Manuel Pinto, treinador do Sertanense, mostrou-se orgulhoso com o trabalho da equipa, que joga no terceiro escalão do futebol português. Já Rui Vitória preferiu destacar a qualidade dos jogadores do Benfica que, apesar de serem menos utilizados neste inicio de época, estiveram em evidência.

  • "Pedro Proença quer que eu saia a todo o custo"
    3:00
  • Chuvas fortes afetam várias regiões em Espanha

    Mundo

    As chuvas fortes que afetam desde quinta-feira Espanha, as mais intensas da última década, estão a provocar problemas em várias regiões, em especial nas províncias da Comunidade Valenciana, mas sem registo de ocorrências graves nem danos pessoais.

  • Sextortion, o novo método de chantagem sexual na Internet
    2:17
  • Destruído mural de Vhils em Alcântara

    Cultura

    O mural, criado por Vhils, na parede da antiga fabrica da Sidul na Avenida da Índias, em Lisboa, foi esta quinta-feira destruído para dar lugar a um empreendimento urbanístico.