País

49 pessoas deslocadas em Monchique deverão regressar hoje a casa

FILIPE FARINHA/ LUSA

As 49 pessoas que ainda se mantêm deslocadas devido ao incêndio que durante uma semana lavrou na serra de Monchique deverão conseguir regressar hoje às suas casas, disse a Proteção Civil.

Em declarações numa conferência de imprensa em Monchique, a segunda comandante operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, disse que as autoridades estão a fazer "um esforço" para que ao longo dia de hoje "a maior parte delas possa regressar às suas habitações".


Hoje de manhã, mantinham-se deslocadas 20 pessoas na vila de Monchique, 14 em Sagres (concelho de Vila do Bispo), três em Marmelete (Monchique), havendo ainda 12 acamados em unidades de saúde a receber cuidados diferenciados.


Desde o início do incêndio, que deflagrou no concelho de Monchique e se alastrou depois a Portimão e Odemira, no Alentejo, com menor impacto, e mais tarde a Silves, um total de 299 pessoas tiveram de ser retiradas das suas habitações.


Durante o dia, também começará a ser desmobilizado o dispositivo de combate ao incêndio, acrescentou Patrícia Gaspar, frisando que ao longo dos próximos dias algumas forças vão sendo retraídas gradualmente.


"Há equipas que vão sendo substituídas, ao longo do dia de hoje vamos a começar a retrair algumas forças, sobretudo as que vieram de mais longe", sublinhou.


O objetivo é poder fazer regressar à origem parte dos meios que vieram de mais longe, do Norte e Centro do país, garantindo também "resposta operacional nas suas áreas de ação".


O dispositivo de combate vai sendo gradualmente substituído por um dispositivo de vigilância e monitorização.


Segundo Patrícia Gaspar, as causas do incêndio que deflagrou na sexta-feira em Monchique ainda não foram apuradas.
A Autoridade Nacional de Proteção Civil deu hoje o incêndio que lavra há uma semana em Monchique como dominado, mas sublinhou que ainda não é o momento de cruzar os braços.


Aquela responsável disse ainda que o incêndio tem ainda uma vasta área afetada e que é preciso "manter a energia e a dedicação" para prosseguir com a consolidação do trabalho feito e responder com prontidão a eventuais reativações.


As zonas mais preocupantes para a Proteção Civil continuam a ser todo o perímetro desde São Marcos da Serra até São Bartolomeu de Messines, no concelho de Silves, a área onde ainda se mantém a maior quantidade de meios, referiu.

Lusa

  • Número de feridos no fogo de Monchique sobe para 41, incluindo 22 bombeiros
    0:32

    País

    A segunda comandante operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) deu hoje o incêndio que lavra há uma semana em Monchique como dominado, mas sublinhou que ainda não é o momento de cruzar os braços. Patricia Gaspar atualizou também o número de feridos para 41, um deles em estado grave. Entre os feridos, incluem-se 22 bombeiros.    

  • Fogo em Monchique começou há uma semana

    País

    Mais de 1.300 bombeiros e dois meios aéreos combatiam ao início da manhã de hoje o incêndio que lavra há uma semana em Monchique (Algarve), segundo os dados da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

  • "É um disparate" estar a questionar a atuação das forças de segurança
    16:20

    País

    Nos últimos dias, na zona de Monchique, foram retiradas de casa cerca de 300 pessoas, algumas a muito custo. A GNR encontrou resistência dos moradores e há quem se queixe de ter sido levado à força. O advogado Paulo Saragoça da Mata, em entrevista à SIC Notícias, considera que "é uma tempestade num copo de água" questionar a forma como atuaram as forças de segurança. Já o psiquiatra João Redondo alerta para o impacto que as perdas vão ter em algumas famílias.

  • Fogo em Monchique e estratégias da ANPC em debate
    17:47

    Edição da Noite

    Esta quinta-feira, na Edição da Noite da SIC Notícias, o fogo de Monchique e as estratégias da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) estiveram em debate com: : Ricardo Ribeiro - Presidente ASPROCIVIL/Cndt Bombeiros de Paço de Arcos; Rolando Martins - Engenheiro Florestal; Joaquim Leonardo-Cmdt Bombeiros Algueirão /Mem Martins; Paulo Baldaia- Comentário Político; Professor Luciano Lourenço - Diretor do núcleo Investigação Cientifica de Incêndios Floestais da Universidade de Coimbra.

  • "Acabámos com 6 jogadores da formação na equipa"
    1:27

    Desporto

    No final do jogo, João Manuel Pinto, treinador do Sertanense, mostrou-se orgulhoso com o trabalho da equipa, que joga no terceiro escalão do futebol português. Já Rui Vitória preferiu destacar a qualidade dos jogadores do Benfica que, apesar de serem menos utilizados neste inicio de época, estiveram em evidência.

  • "Pedro Proença quer que eu saia a todo o custo"
    3:00
  • Chuvas fortes afetam várias regiões em Espanha

    Mundo

    As chuvas fortes que afetam desde quinta-feira Espanha, as mais intensas da última década, estão a provocar problemas em várias regiões, em especial nas províncias da Comunidade Valenciana, mas sem registo de ocorrências graves nem danos pessoais.

  • Sextortion, o novo método de chantagem sexual na Internet
    2:17
  • Destruído mural de Vhils em Alcântara

    Cultura

    O mural, criado por Vhils, na parede da antiga fabrica da Sidul na Avenida da Índias, em Lisboa, foi esta quinta-feira destruído para dar lugar a um empreendimento urbanístico.