País

Cenário "muito difícil" no acidente que matou crianças em Mira, diz autarca

Sergio Azenha / LUSA

O presidente da Câmara Municipal de Mira, Raul Almeida, descreveu este domingo um cenário "muito difícil" no acidente rodoviário que matou duas crianças de 10 e 13 anos e fez oito feridos, destacando a "pronta intervenção" do socorro às vítimas.

"Foi um choque, um dia de pesar. Um acidente com um cenário muito difícil de lidar, porque envolveu crianças", disse à Lusa Raul Almeida, aludindo ao acidente com três viaturas que matou duas crianças - uma menina de 13 anos e um rapaz de 10 anos, segundo o autarca - e provocou oito feridos, um em estado grave, todos adultos.

O autarca expressou os sentimentos aos familiares das vítimas mortais, residentes na zona de Tondela, distrito de Viseu, e agradeceu a "pronta intervenção" de todas as entidades envolvidas nas operações de socorro, cerca de 50 operacionais dos bombeiros de Mira, Cantanhede e Vagos, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e GNR.

Raul Almeida afirmou, por outro lado, que a via onde ocorreu o acidente - uma variante à Estrada Nacional 234, de ligação entre Mira e a Praia de Mira, no distrito de Coimbra - "é uma estrada com dez, onze anos, que não tem registo de acidentes graves".

Segundo fonte da autarquia, o acidente decorreu de uma colisão frontal entre duas viaturas "numa zona entre duas rotundas, com muito bom piso, uma reta com muita visibilidade".

A terceira viatura envolvida despistou-se e capotou fora da estrada.

A viatura onde seguiam as vítimas mortais pertencia a uma família residente na zona de Tondela e os ocupantes do outro automóvel envolvido na colisão frontal são oriundos de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, indicou.

A estrada onde se deu o acidente esteve cortada ao trânsito mais de três horas, desde as 10:20 de hoje, hora do alerta, mas a circulação foi entretanto reaberta, informou a GNR.

Lusa

  • Marine Le Pen de fora da Web Summit de Lisboa
    1:41

    País

    A organização do evento cancelou o convite à líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, para discursar na terceira edição que vai realizar-se em novembro em Lisboa. O convite insurgiu o Bloco de Esquerda e a Associação SOS Racismo e o presidente executivo da Web Summit, o irlandês Paddy Cosgrave Cosgrave começou por pedir ao governo português para retirar o convite. Hoje, o Ministério da Economia anunciou em comunicado que não tem intervenção na "seleção de oradores" do Web Summit e a Cosgrave acabou por anunciar hoje que o convite à líder da extrema-direita francesa foi retirado.

  • Onde está a ajuda às vítimas do fogo de Monchique? Autarquia apela à solidariedade
    1:56
  • "Ontem o Benfica esteve melhor, esteve bem"
    4:37

    Edição da Manhã

    Benfica segue em frente na Liga dos Campeões, depois de ter vencido o Fenerbahçe por 2-1 no conjunto das duas mãos. Os gregos do PAOK são o próximo adversário no Play Off de acesso à Champions, o comentário do jornalista Fernando Guerra.

  • "Graças à equipa consegui o meu primeiro golo"
    0:23
  • Turismo abranda e portugueses preferem passar férias no estrangeiro
    3:41

    Economia

    O turismo em Portugal está a abrandar. Em junho já se registaram menos dormidas do que nos meses anteriores. Ingleses, alemães, espanhóis e franceses vêm menos e passam menos tempo em Portugal. Também os portugueses estão a escolher destinos no estrangeiro, porque sai mais barato do que passar férias no Algarve.

  • Donald Trump acusa ex-assessora de ser "um cão"

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump aumentou esta terça-feira o tom do confronto com a antiga assessora Omarosa Manigault Newman, que chegou a ser a afro-americana com estatuto mais elevado na Casa Branca, designando-a como "esse cão!".