País

Homem acusado da morte de animal de estimação vai ser julgado

Susana Vera

O Ministério Público acusou um homem de 25 anos pelo crime de maus tratos a um animal de companhia, que adquiriu e em seguida matou, causando-lhe dores e sofrimento, segundo um comunicado da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

"O MP requereu o julgamento em tribunal singular de um arguido, pela prática de um crime de maus tratos a animais de companhia agravado", lê-se na nota publicada na página de Internet da PGDL.

Ficou indiciado que, em setembro de 2016, o arguido "adquiriu e em seguida matou um animal, apertando-lhe com força o corpo até o desmembrar por completo, causando-lhe dores, sofrimento e graves lesões físicas que vieram a determinar a sua morte".

O arguido incorre, assim, numa pena de prisão que pode ir até dois anos ou multa até 240 dias.

De acordo com a Lei 69/2014, relativa à proteção de animais de companhia, o artigo 387.º, sobre os maus tratos, determina que "quem, sem motivo legítimo, infligir dor, sofrimento ou quaisquer outros maus tratos físicos a um animal de companhia é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias".

No entanto, se daquela prática resultar "a morte do animal, a privação de importante órgão ou membro ou a afetação grave e permanente da sua capacidade de locomoção", a pena de prisão pode ir até dois anos ou a multa até 240 dias.

Lusa

  • Três mortos, três feridos graves e quatro polícias detidos em Díli

    Mundo

    Três jovens morreram e três estão em estado grave no hospital nacional Guido Valadares, em Díli, alvejados por um polícia fora de serviço durante uma discussão numa festa em Díli, disse fonte hospitalar. Quatro polícias timorenses foram hoje detidos e suspensos preventivamente por estarem armados fora de serviço.

  • Cães de busca e salvamento treinam na Maia
    1:53

    País

    As várias valências da Proteção Civil realizaram hoje um simulacro com equipas cinotécnicas para possíveis cenários de catástrofe. Os cães são muitas vezes essenciais no salvamento de encarcerados ou soterrados e hoje simularam a deteção de vítimas de um sismo, numa antiga unidade fabril da Maia.

  • Pertual: Portugal em Mirandês
    19:02
  • O plástico invadiu a Biosfera
    5:45
  • PSD tem a maior queda e vê PS subir nas intenções de voto
    2:22
  • Muitos britânicos querem segundo referendo ao Brexit
    2:02