País

"Todos os que saírem à rua com o colete vão mostrar que estão contra o sistema"

Entrevista SIC Notícias

"Todos os que saírem à rua com o colete vão mostrar que estão contra o sistema"

"Este protesto é por causa da falta de respeito pelo dinheiro do povo", disse um dos organizadores do movimento "Vamos Parar Portugal em Protesto", em entrevista à SIC Notícias.

Um dos membros da organização do movimento "Vamos Parar Portugal em Protesto" - o protesto inspirado nos coletes amarelos, em França - defendeu que o protesto de sexta-feira vai servir para o "povo manifestar-se contra o sistema". Miguel Viegas negou ainda a violência e disse que o movimento recusou a "infiltração" de qualquer partido político.

Em entrevista à SIC Notícias, Miguel Viegas disse que os objetivos do protesto é dar a oportunidade ao povo para manifestar-se e chegar ao diálogo com o Governo. Aquilo que começou por ser uma "brincadeira" entre cinco amigos, tornou-se agora num protesto que prevê levar para as ruas de norte a sul do país milhares de portugueses.

"Todos que saírem à rua com o colete vão mostrar que estão contra o sistema."

Miguel Viegas falou em "organizações viciadas que estão a dar cabo" de Portugal e defendeu que o movimento quer saber o que fazem com o dinheiro dos contribuintes.

"Este protesto é por causa da falta de respeito pelo dinheiro do povo"

A "infiltração" de partidos políticos

Miguel Viegas admitiu à SIC Notícias que houve partidos políticos que quiseram infiltrar-se no movimento.

Assumindo-se apolítico, o membro da organização do movimento admitiu mesmo que tiveram de lutar contra estas tentativas de "infiltração". Recusou revelar quais os partidos que os contactaram, mas adiantou que o movimento também ele é apolítico.

O futebol

Perante a questão do número de pessoas que iriam participar, Miguel Viegas lembrou os Euros 2004 - quando Portugal foi à final da competição - e 2016 - quando a seleção venceu o torneio -, e a quantidade de pessoas que saíram às ruas. O organizador disse mesmo que se metade das pessoas que saíram à rua em 2004, saísse esta sexta-feira, ficaria satisfeito.

A segurança

Miguel Viegas garantiu que se reuniu com as autoridades para falar de matérias como a segurança.

Deixou claro que este não é um protesto violento como os de França: "queremos parar Portugal e não partir nada." A organização do "Vamos Parar Portugal em Protesto" pediu para as ordens da polícia serem acatadas pelos manifestantes, esta sexta-feira.

O movimento prometeu ainda que isto é só o "início".

  • "EUA continuam a andar para trás em direitos humanos"
    2:02
  • Uma visita personalizada ao museu da BMW
    4:17