País

Mais de 40 mil militares portugueses salvaram 671 vidas em 2018 em 8 mil missões

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Em 2018, as Forças Armadas estiveram presentes em 40 missões, com 2.260 militares dos três ramos das Forças Armadas, 42 viaturas táticas, nove navios e nove aeronaves

Cerca de 41 mil militares das Forças Armadas realizaram em 2018 perto de oito mil missões em apoio às populações e em situações de emergência civil permitindo "salvar 671 vidas humanas", segundo o Estado-Maior das Forças Armadas.

"Em território nacional, as Forças Armadas realizaram 7.920 missões com empenhamento de 41.810 militares, em apoio direto às populações e proteção dos seus bens, bem como em situações de emergência civil, apoio que permitiu salvar 671 vidas humanas", refere um balanço divulgado esta quinta-feira pelo Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA).

Os militares participaram ainda em 6.048 missões de apoio à Autoridade Nacional de Proteção Civil, ao Instituto da Conservação da Natureza e Florestas e no âmbito de protocolos de cooperação municipais.

Do total, 5.128 missões foram patrulhas de vigilância nas matas nacionais e perímetros florestais em 15 distritos, com empenhamento de militares da Marinha e do Exército.

As restantes 920 foram ações de engenharia realizadas pelo Exército em Aveiro, Leiria, Setúbal e Faro, acrescenta o EMGFA.

A Marinha portuguesa, um ramo das Forças Armadas, anunciou na terça-feira que salvou 320 vidas, ao longo de 2018, e que a taxa de eficácia se situou nos 98,8%, aumentando 2,3% face a 2017.

Forças Armadas nas missões internacionais

Quanto às missões internacionais, em 2018 as Forças Armadas estiveram presentes em 40 missões, com 2.260 militares dos três ramos das Forças Armadas, 42 viaturas táticas, nove navios e nove aeronaves, segundo o balanço divulgado.

MIGUEL A. LOPES

O número total de militares empenhados em missões internacionais em 2018 fica abaixo da previsão avançada em fevereiro do ano passado pelo então Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Pina Monteiro.

Em fevereiro de 2018, o general Pina Monteiro tinha estimado em pelo menos 2.800 o número de militares a empenhar o ano passado. Em 2017, estiveram envolvidos cerca de 2.600 militares em missões internacionais, disse na mesma altura o então CEMGFA.

Esta diferença é atribuída pelo atual EMGFA à forma de contabilização do número de militares envolvidos nas missões internacionais.

Segundo o porta-voz do EMGFA, comandante Coelho Dias, no balanço hoje divulgado não estão incluídos os militares que as FA têm no âmbito dos compromissos com a NATO e a União Europeia, que preveem "battle groups" com militares em prontidão mas que não foram efetivamente empenhados no terreno em 2018.

Atualmente, decorrem missões na República Centro-Africana, Iraque, Afeganistão, Kosovo, Somália, Mali, Roménia, Colômbia e São Tomé e Príncipe, no âmbito da NATO, ONU, União Europeia ou no âmbito dos acordos de cooperação bilateral.

Lusa