País

Rui Rio reage ao desafio de Montenegro: “A resposta é não”

MÁRIO CRUZ

Rui Rio reagiu este sábado ao desafio lançado por Montenegro, afirmando que não irá marcar eleições diretas no PSD. O líder do partido informa que irá, ainda assim, chamar o Conselho Nacional a votar uma moção de confiança.

Rui Rio reagiu este sábado ao desafio lançado por Montenegro, afirmando que não irá marcar eleições diretas no PSD. O líder do partido informa que irá, ainda assim, chamar o Conselho Nacional a votar uma moção de confiança.

Num discurso em que deixou duras críticas aos instigadores de uma “guerrilha interna”, Rui Rio mostrou-se confiante na liderança que ao longo do último ano tem vindo a conduzir, dizendo que nunca participaria em “tentativas de enfraquecimento de uma liderança legítima”.

Descrevendo a atitude de Montenegro como uma “política do bota-abaixo", responsabiliza-o por lançar confusão e instabilidade no partido a pouco tempo das eleições. O líder do PSD denuncia ainda a falta de maturidade e sentido responsável do rival interno, dizendo que este tem por objetivo condicionar os calendários do partido à sua agenda pessoal.

“Estou consciente de que o país necessita de um conjunto de reformas”, afirmou Rio, garantindo que só se mantém na vida pública se for para colocar o interesse de Portugal “acima dos demais”. Pede um PSD frontal, genuíno e sincero, mas fechado a divergências táticas e artificiais, para evitar o que chama de uma “caminhada insensata para o abismo”.

O Conselho Nacional do partido foi invocado para uma reunião extraordinária de forma a votar uma moção de confiança, que pode, se assim o decidir, demitir a atual direção do partido.