Reportagem Especial

Reportagem Especial: "Olha o correio!"

Este sábado no Jornal da Noite

Reportagem Especial: "Olha o correio!"

Os CTT anunciaram o encerramento de 22 lojas em todo o país até final de março. A Reportagem Especial "Olha o correio!" percorreu algumas das lojas que vão encerrar e ouviu as preocupações das populações e dos representantes dos trabalhadores dos CTT. Para ver este sábado, no Jornal da Noite.

Esta semana, a administração veio dizer que para 19 destas 22 lojas vão existir alternativas através da abertura de novos postos, naquele que será um modelo de negócio diferente. Pretendem fazer parcerias com entidades locais, comércio, ou juntas de freguesia para continuar a assegurar o serviço. Assim sendo, a empresa diz que serão apenas 3 as lojas a encerrar sem que seja oferecida uma alternativa.

As populações contestam a medida por considerarem que os novos postos de correios não asseguram o mesmo serviço que as lojas. Os sindicatos e a comissão de trabalhadores também se opõem acusando a empresa de levar a cabo uma restruturação economicista.

Os CTT garantem que continuam a assegurar a proximidade às populações e o serviço e correio postal, e que esta restruturação não põe em causa nenhum posto de trabalho.

Certo é que das 22 anunciadas para fechar até ao final do primeiro trimestre do ano, 10 já encerraram, e as outras aguardam igual destino.


Jornalista: Raquel Marinho
Imagem: José Silva
Edição de Imagem: Ana Rita Sena
Produção: Cláudia Araújo
Coordenação: Luís Marçal
Direção: Ricardo Costa

  • Juiz Neto Moura processou agente da PSP que lhe apreendeu o carro
    3:28

    País

    Além dos quatro militares da GNR processados pelo juiz Neto Moura, o magistrado também levou a tribunal o agente da PSP que em 2012 apreendeu o carro do juiz, porque circulava sem matrículas. Ao contrário dos militares, o agente da PSP foi absolvido.

    Notícia SIC

  • FBI despede agente que fez críticas a Trump

    Mundo

    Peter Strzok, um agente da política federal (FBI, na sigla em inglês), que o procurador especial Robert Mueller tinha removido da investigação à interferência russa pelas mensagens de correio eletrónico anti-Trump, foi despedido.