sicnot

Perfil

Cultura

Christie's vai leiloar coleção de gravuras de Paula Rego em Londres

Peças de uma coleção privada, que percorrem trinta anos da obra gráfica da pintora Paula Rego, incluindo a série completa "Nursery Rhymes", vão ser vendidas pela Christie's, num leilão "online", que inicia hoje a fase de licitação.

Paula Rego

Paula Rego

AP

O leilão intitula-se "Paula Rego Thirthy Years of Print" ("Paula Rego 30 anos de Gravura") e acontece numa altura em que a pintora portuguesa radicada em Londres acaba de completar 80 anos. 

As peças, entre gravuras e litografias, provêm da maior coleção privada da obra gráfica da artista, disse fonte da leiloeira contactada pela agência Lusa.

A fase de licitação decorre "online" até 19 de março e as obras vão estar expostas a partir do próximo sábado, dia 14, na galeria da Christie's, na King Street, em Londres.

Os lotes em venda contemplam algumas edições de obras raras, criadas entre 1987 e 2007, e importantes séries da obra gráfica, nomeadamente as "Nursery Rhymes", com bases de licitação que vão das 400 libras (cerca de 540 euros) a 20 mil libras (cerca de 27 mil euros). 

Lucia Tro Santafe, especialista em obra gráfica moderna e contemporânea na Christie´s, responsável pelo leilão, sublinhou que Paula Rego "é uma das maiores artistas contemporâneas". 

"O seu imaginário poderoso, e por vezes subversivo, colocam-na na grande tradição de artistas contadores de histórias, como Goya, Daumier e Picasso. Este leilão de obras de Paula Rego é uma ótima oportunidade para os colecionadores adquirirem as obras dela", comentou.

Estarão ainda à venda as séries completas de "Pendle Witches" e "Peter Pan", bem como várias litografias da série "Jane Eyre", nomeadamente "Getting ready for the ball", "Come to me" e "Loving Berwick".

A pintora portuguesa começou a desenhar ainda criança e partiu para a capital britânica com apenas 17 anos, para estudar na Slade School of Fine Art.

Em Londres viria a conhecer o futuro marido, o artista inglês Victor Willing, falecido em 1988, cuja obra Paula Rego já mostrou por várias vezes no museu Casa das Histórias, em Cascais, que detém um acervo de obras da autora.

Na pintura de Paula Rego surgem muitas imagens típicas da infância, por vezes fetichistas e até traumáticas, relacionadas com a violência, e os animais são muitas vezes os protagonistas da sua linguagem pictórica.

Nas últimas décadas, a pintora tem abordado temas políticos, como o abuso de poder, e sociais, como o aborto, entre outros do universo feminino.

Paula Rego foi distinguida em 2010 pela rainha Isabel II com o grau de Oficial da Ordem do Império Britânico, pela sua contribuição para as artes.


Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.