sicnot

Perfil

Cultura

Christie's vai leiloar coleção de gravuras de Paula Rego em Londres

Peças de uma coleção privada, que percorrem trinta anos da obra gráfica da pintora Paula Rego, incluindo a série completa "Nursery Rhymes", vão ser vendidas pela Christie's, num leilão "online", que inicia hoje a fase de licitação.

Paula Rego

Paula Rego

AP

O leilão intitula-se "Paula Rego Thirthy Years of Print" ("Paula Rego 30 anos de Gravura") e acontece numa altura em que a pintora portuguesa radicada em Londres acaba de completar 80 anos. 

As peças, entre gravuras e litografias, provêm da maior coleção privada da obra gráfica da artista, disse fonte da leiloeira contactada pela agência Lusa.

A fase de licitação decorre "online" até 19 de março e as obras vão estar expostas a partir do próximo sábado, dia 14, na galeria da Christie's, na King Street, em Londres.

Os lotes em venda contemplam algumas edições de obras raras, criadas entre 1987 e 2007, e importantes séries da obra gráfica, nomeadamente as "Nursery Rhymes", com bases de licitação que vão das 400 libras (cerca de 540 euros) a 20 mil libras (cerca de 27 mil euros). 

Lucia Tro Santafe, especialista em obra gráfica moderna e contemporânea na Christie´s, responsável pelo leilão, sublinhou que Paula Rego "é uma das maiores artistas contemporâneas". 

"O seu imaginário poderoso, e por vezes subversivo, colocam-na na grande tradição de artistas contadores de histórias, como Goya, Daumier e Picasso. Este leilão de obras de Paula Rego é uma ótima oportunidade para os colecionadores adquirirem as obras dela", comentou.

Estarão ainda à venda as séries completas de "Pendle Witches" e "Peter Pan", bem como várias litografias da série "Jane Eyre", nomeadamente "Getting ready for the ball", "Come to me" e "Loving Berwick".

A pintora portuguesa começou a desenhar ainda criança e partiu para a capital britânica com apenas 17 anos, para estudar na Slade School of Fine Art.

Em Londres viria a conhecer o futuro marido, o artista inglês Victor Willing, falecido em 1988, cuja obra Paula Rego já mostrou por várias vezes no museu Casa das Histórias, em Cascais, que detém um acervo de obras da autora.

Na pintura de Paula Rego surgem muitas imagens típicas da infância, por vezes fetichistas e até traumáticas, relacionadas com a violência, e os animais são muitas vezes os protagonistas da sua linguagem pictórica.

Nas últimas décadas, a pintora tem abordado temas políticos, como o abuso de poder, e sociais, como o aborto, entre outros do universo feminino.

Paula Rego foi distinguida em 2010 pela rainha Isabel II com o grau de Oficial da Ordem do Império Britânico, pela sua contribuição para as artes.


Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59