sicnot

Perfil

Cultura

Filme sobre Edward Snowden estreia quinta-feira em Portugal

O documentário "Citizenfour", de Laura Poitras, sobre o ex-analista norte-americano Edward Snowden, que denunciou, a jornalistas, em 2013, a existência de um programa global norte-americano de vigilância, estreia-se quinta-feira, em Portugal.

© Mark Blinch / Reuters

O filme, estreado nos Estados Unidos em 2014 e premiado este ano com um Óscar de melhor documentário, foi feito em junho de 2013, registando os encontros que Edward Snowden teve com os jornalistas Glenn Greenwald, Ewen MacAskill e Laura Poitras, num hotel em Hong Kong, e nos quais denuncia o vasto programa de vigilância indiscriminada de comunicações da Agência de Segurança Nacional (NSA) norte-americana.

"Citizenfour" encerra uma trilogia de Laura Poitras sobre os Estados Unidos pós-ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Dessa trilogia fazem igualmente parte os filmes "My country, my country" (2006), sobre a guerra no Iraque, e "The Oath" (2010), sobre a prisão de Guantánamo.

Laura Poitras, jornalista e realizadora norte-americana, foi contactada pela primeira vez por Edward Snowden - que utilizava o nome "Citizenfour" - em janeiro de 2013, quando estava já a preparar um filme sobre vigilância e privacidade.

Depois de várias trocas de mensagens - recuperadas para o filme - Edward Snowden aceitou participar num documentário que registasse precisamente as suas denúncias com informações confidenciais sobre um programa de vigilância de todos os cidadãos norte-americanos, extensível a outros países.

Em "Citizenfour", Edward Snowden afirma que não procurava protagonismo, mas que queria denunciar um assunto que diz respeito a todos, sobre vigilância em massa e violação de privacidade.

À medida que regista as declarações de Edward Snowden, fechado num quarto de hotel em Hong Kong, Laura Poitras acompanha ainda o impacto mediático e político global das revelações do ex-informático e conselheiro norte-americano, de 31 anos. 

Edward Snowden, que está refugiado na Rússia, num local não determinado, disse em junho de 2013, em entrevista a um jornal de Hong Kong, que não era "nem traidor nem herói" por revelar o esquema de vigilância e espionagem.

Snowden só admite regressar aos Estados Unidos quando lhe for garantido um julgamento justo pelas acusações de espionagem de que é alvo.

De acordo com o advogado do ex-informático, Anatoli Kucherena, por agora, a única promessa que o procurador-geral dos Estados Unidos fez a Snowden é que, no caso de regressar e de ser submetido a julgamento, não será condenado à pena capital.

Na altura em que Snowden passou as informações aos jornalistas - que acabaram por ser distinguidos com o prémio Pulitzer -, a Agência Nacional de Segurança defendeu que "mais de 50 potenciais atos terroristas" foram evitados devido aos dois programas de vigilância divulgados pelo ex-consultor informático.

A história de Edward Snowden já deu origem a uma adaptação cinematográfica, que o realizador Oliver Stone está a rodar atualmente na Alemanha com o ator Joseph Gordon-Levitt como protagonista.


Lusa
  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.