sicnot

Perfil

Cultura

Adriano Moreira candidato ao Prémio Princesa das Astúrias 2015

O jurista e professor universitário Adriano Moreira é candidato ao Prémio Princesa das Astúrias 2015, na categoria Ciências Sociais, confirmou o próprio à agência Lusa.

Lusa

Lusa

(LUSA/ ARQUIVO)

A candidatura ao Prémio Princesa da Astúrias, disse Adriano Moreia à agência Lusa, foi entregue pela Academia de Ciências de Lisboa, instituição que o jurista, estadista, ex-deputado, antigo ministro e líder partidário (CDS) chegou a presidir.

O prazo para entrega das candidaturas terminou na passada quinta-feira, 12 de março, anunciou a fundação espanhola.

No total foram entregues 223 candidaturas, de 51 países, em oito categorias: Artes, Letras, Ciências Sociais, Comunicação e Humanidades, Investigação Científica e Técnica, Cooperação Internacional, Concórdia e Desportos.

Cada vencedor recebe uma escultura de Joan Miró e 50 mil euros, além de um diploma e uma insígnia.

Adriano Moreira, de 92 anos, licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa em 1944, e doutorou-se, na mesma área, pela Universidade Complutense de Madrid e pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), de Lisboa.

Foi deputado e presidente do CDS, ministro do Ultramar durante o Estado Novo (de 1961 a 1963), entre muitos outros cargos na vida política portuguesa.

Foi presidente da Sociedade de Geografia e, mais tarde, da Academia de Ciências de Lisboa.

Recebeu vários prémios e condecorações, tais como: a medalha de Mérito Cultural, medalha Militar de Serviços Distintos grau ouro da Marinha, medalha de Mérito Aeronáutico, Royal Victorian Order, Grã-Cruz da Ordem Militar de Santiago da Espada, entre outros. 

Além de Adriano Moreira, na categoria Ciências Sociais,  também a antiga maratonista portuguesa Rosa Mota será candidata aos Prémios Princesa das Astúrias, na categoria Desportos. O nome de Rosa Mota foi proposto pelo Comité Olímpico de Portugal e pelo embaixador de Espanha em Portugal.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.