sicnot

Perfil

Cultura

Hoje assinala-se o Dia Internacional do Livro Infantil para celebrar a leitura

Em honra do autor dinamarquês Hans Christian Andersen e em defesa da importância da leitura, hoje celebra-se em todo o mundo o Dia Internacional do Livro Infantil.

© Mark Makela / Reuters

A ideia de que as histórias para crianças têm todas algo em comum, mesmo que sejam narradas em línguas e culturas diferentes, domina este ano a mensagem oficial da efeméride, celebrada pela primeira vez a 02 de abril de 1967.


Todos os anos, o Conselho Internacional sobre Literatura para os Jovens (IBBY) divulga uma mensagem associada ao Dia Internacional do Livro Infantil, sendo a deste ano assinada pela escritora Marwa Al Agroubi, dos Emirados Árabes Unidos.


"Falamos várias línguas e trazemos diferentes experiências. E, no entanto, partilhamos as mesmas histórias", sejam internacionais, sejam tradicionais. "É sempre a mesma história que nos contam, em diferentes vozes, em diferentes cores, e contudo ela não muda... Princípio, meio e fim", escreveu a autora.


O Dia Internacional do Livro Infantil é celebrado sempre a 02 de abril, coincidindo com o aniversário do nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.


Uma das referências da literatura para crianças e jovens, Hans Christian Andersen, que morreu em 1875, é autor de clássicos como "A pequena sereia", "A vendedora de fósforos" e "A princesa e a ervilha".


Hans Christian Andersen dá ainda hoje o nome a um dos mais importantes prémios literários nesta área, considerado o Nobel da literatura infanto-juvenil.


Lusa
  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Parlamento debate uso de animais no circo: as posições do PCP, Bloco e PAN
    2:03
  • ONU analisa proposta do Egito que visa anular decisão de Trump sobre Jerusalém
    1:27

    Mundo

    O Conselho de Segurança das Nações Unidas está a analisar um projeto de resolução que pretende rejeitar a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital oficial de Israel. O projeto de resolução, proposto pelo Egito, deverá ser votado amanhã mas vai, seguramente, contar com o voto contra dos Estados Unidos.