sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o jornalista Tolentino da Nóbrega

Morreu hoje no Funchal o jornalista Tolentino da Nóbrega. 

SIC

O correspondente do jornal Público para a Madeira tinha 63 anos. Faleceu de doença prolongada. Era jornalista há 40 anos, sempre na Madeira. Antes do jornal Público, colaborou com o Comércio do Funchal e depois no Diário de Notícias da Madeira.

Em 1998 foi distinguido com o Prémio Gazeta e em 2006 foi condecorado pelo Presidente da República, Jorge Sampaio com o grau de comendador da Ordem do Infante D. Henrique.

Licenciado em pintura pela Escola de Belas Artes da Madeira, o jornalista dedicou-se ainda ao ensino, tendo sido professor de Desenho e Geometria na Escola Secundária Francisco Franco.

Vicente Jorge Silva lembra que Tolentino da Nóbrega era "um resistente" ao jardinismo

O ex-diretor e fundador do Público disse hoje que o jornalista Tolentino da Nóbrega foi "um verdadeiro resistente do período jardinista".

Em declarações à agência Lusa, Vicente Jorge Silva lamenta a morte do "amigo" e lembra que "Tolentino era uma pessoa de uma rara coragem, foi alvo dos atentados da FLAMA [Frente de Libertação da Madeira, movimento que defendia a independência da Região no período pós 25 de abril de 1974] e sofreu muito ao longo do período jardinista, foi um verdadeiro resistente, nunca desistiu, tinha uma combatividade e persistência admiráveis".

"O Tolentino de Nóbrega era um dos meus amigos mais chegados na Madeira e foi muito importante para mim no jornal Comércio do Funchal, que fizemos juntos, era um dos mais próximos colaboradores para a parte gráfica e paginação", disse. 



 
Com Lusa
  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15