sicnot

Perfil

Cultura

Fórum internacional debate "O Lugar da Cultura" durante três dias em Lisboa

O Fórum Internacional "O Lugar da Cultura" começa na quarta-feira, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, para debater, durante três dias, o papel da cultura nos modelos de desenvolvimento das sociedades atuais.

© Desmond Boylan / Reuters

Promovido pela Secretaria de Estado da Cultura (SEC), o fórum vai reunir agentes culturais portugueses e estrangeiros, responsáveis governamentais, artistas e especialistas em várias áreas da cultura. 

Entre outros, estarão presentes os ensaístas e investigadores Daniel Innerarity, professor de Filosofia Política e Social da Universidade do País Basco (Espanha), Jonathan Taplin, diretor do Annenberg Innovation Lab, da Universidade da Califórnia do Sul (Estados Unidos), e José Bragança de Miranda, professor da Universidade Nova de Lisboa.

Nestas conferências participam ainda, entre dezenas de oradores, o secretário de Estado da Cultura de Espanha, José María Lassalle, o ministro da Cultura de Cabo Verde, Mário Lúcio Matias de Sousa Mendes, e, como presidente do Centro Nacional de Cultura, Guilherme d´Oliveira Martins.

O presidente do Parlamento Europeu entre 1989 e 1992, o espanhol Enrique Barón Crespo, o economista checo, autor do livro "Economics of good and evil", Tomás Sedláccek, o professor de Economia Política José Tavares e o economista e autor da "Economia do Bem Comum", o austríaco Christian Felber, são outros dos oradores.

Os debates contam ainda com o percussionista, maestro e compositor Pedro Carneiro, diretor da Orquestra de Câmara Portuguesa, e com o cronista e músico da banda Buraka Som Sistema Kalaf Epalanga.

Da área da religião participam representantes de várias confissões, nomeadamente Sheik David Munir, imã da Mesquita Central de Lisboa, Esther Mucznik, vice-presidente da Comunidade Israelita em Lisboa, e Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício para a Cultura.

Em foco vão estar, na quarta-feira, os "Modelos de desenvolvimento para o século XXI", na quinta-feira, a relação "Cultura e Desenvolvimento", no quadro europeu de financiamento 2014/2020, e, na sexta-feira, as políticas setoriais, com a participação dos principais responsáveis de organismos oficiais na área.

Nas conferências do terceiro dia estarão representantes da Direção-Geral das Artes, da Direção-Geral do Património Cultural, do Instituto do Cinema e do Audiovisual, da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, do Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais, e da Inspeção-Geral das Atividades Culturais.

Também vão participar economistas, consultores, arqueólogos, sociólogos, conservadores de museus, escritores, arquivistas, editores, produtores de cinema, jornalistas, juristas, curadores, encenadores e arquitetos.

Na apresentação da iniciativa, a 31 de março, o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, defendeu a aposta "no papel central da cultura nas sociedades", argumentando que "a qualidade de vida tem uma correlação com os indicadores culturais".

"Vivemos num tempo de muitas dúvidas e circunstâncias que colocam dificuldades. Há uma necessidade de novas perspetivas, e esta questão do papel da cultura no desenvolvimento é central", sustentou Barreto Xavier, na altura, numa conferência de imprensa.

Também estão previstos espetáculos e a exibição de filmes pela Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, no CCB, na sexta-feira, sobre os primórdios do cinema.

O Fórum Internacional "O Lugar da Cultura" irá prosseguir com as Jornadas Porta Aberta, de sábado a quarta-feira, 22 de abril, com instituições públicas e privadas de todo o país que abrem as suas instalações, de forma mais alargada, ao público, segundo o programa do Fórum, que também inclui espetáculos e debates.

Lusa

  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.