sicnot

Perfil

Cultura

Scorpions vão tocar na China, pela primeira vez em 50 anos de carreira

A banda alemã de heavy metal Scorpions, uma das mais antigas do género, fundada há 50 anos, vai atuar na sexta-feira na China, pela primeira vez, quebrando o longo jejum dos fãs chineses, anunciou hoje a imprensa local.

Os Scorpions atuarão no âmbito do Changjiang International Music Festival, que durante dois dias reunirá mais de vinte bandas e cantores numa pequena localidade da margem do Rio Yangtze, na província de Jiangsu, leste da China.

"Isto pode ser apenas o início (de uma posterior digressão pela China). Esperamos que haja outra oportunidade para voltar e tocar em Pequim, Xangai e em muitas outras cidades", disse o vocalista do grupo, Klaus Meine, citado pelo jornal China Daily.

A música rock já não é oficialmente considerada na China um "género decadente", mas os espetáculos com grandes bandas ocidentais ainda são raros no país e como aconteceu em 2006 com os Rolling Stones, em Xangai, o reportório tem de ser previamente examinado pelas autoridades.

Na altura, a censura chinesa vetou quatro canções do grupo, entre as quais "Let's Spend the Night Together".

Os Scorpions apareceram em Hamburgo em 1965, um ano antes de a China embarcar numa "Grande Revolução Cultural Proletária" destinada a "aprofundar a luta de classes" e "eliminar os valores e tradições" da antiga sociedade. 

Beethoven, por exemplo, era considerado "um músico reacionário". 

A música rock só começou a chegar à China na década de 1980, depois de o Partido Comunista Chines ter adotado uma nova politica, denominada de "Reforma Económica e Abertura ao Exterior".

Em 1984, um antigo trompetista da Orquestra Filarmónica de Pequim, Cui Jian, fundou o primeiro grupo rock chinês e foi ele, também, que abriu a primeira edição do Changjiang International Music Festival, há seis anos. 



Lusa
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Rui Rio comprometeu-se a realizar apenas dois debates
    0:45

    País

    Rui Rio disse esta terça-feira que foi apanhado de surpresa com a mudança de posição de Pedro Santana Lopes, que exige três debates entre os dois candidatos à liderança do PSD nos canais generalistas. Rui Rio reiterou ainda que se comprometeu a fazer apenas dois debates.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.