sicnot

Perfil

Cultura

Projeto Flâneur mostra espaço público de Lisboa através da fotografia

O projeto Flâneur -- Novas Narrativas Urbanas vai começar em Lisboa a desafiar fotógrafos a produzirem "novas leituras" sobre o espaço público da cidade, que resultará em exposições de rua, e será desenvolvido até 2017 por mais dez países europeus.

© Fabrizio Bensch / Reuters

Em declarações à agência Lusa, o diretor da associação cultural Procur.arte, Nuno Ricou Salgado, responsável pelo projeto, disse que o objetivo é "trabalhar sobre o espaço público a partir da fotografia e descobrir as várias cidades que vão acolher o Flâneur".

O projeto foi apresentado hoje no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, com a presença da vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Catarina Vaz Pinto, que frisou que o projeto "tem uma componente de prática artística e também de reflexão" sobre o território das cidades.

Segundo a vereadora da Cultura, o projeto vai permitir "uma perceção dos projetos artísticos enquanto trabalho de relação entre as várias áreas artísticas, dessa interação que se rege eventualmente por um tema comum resultam novas dialogações, novas geografias, novos mapas culturais".

O Flâneur -- Novas Narrativas Urbanas é um projeto de arte no espaço público que tem por base a fotografia contemporânea, partindo do conceito de "Flâneur", criado pelo poeta Baudelaire, que tem sido utilizado como instrumento para compreender os fenómenos urbanos em termos económicos, culturais e históricos.

O projeto procura na cidade "aquilo que não é óbvio, colocando em diálogo a perspetiva interna e externa, através da intervenção de artistas locais e artistas convidados", disse Nuno Ricou Salgado.

Os trabalhos fotográficos vão ser expostos "nas praças, jardins, ruas das mesmas cidades, partilhando com o público local o seu olhar e a sua leitura sobre esse mesmo território urbano", numa lógica de intervenção e dinamização do espaço público, acessível 24 horas por dia.

 "É um projeto aberto e absolutamente transversal aos vários públicos que habitam e vão visitar as cidades. A ideia é ser um projeto que seja partilhado por quem assim o entender, quem quiser usufruir das exposições no espaço público", frisou o diretor da Procur.arte.

 "Flâneur" engloba diversas dimensões artísticas, através da realização de 'workshops' e 'masterclasses', residências artísticas, 'creative camps' e conferências internacionais.

O projeto, criado e desenvolvido pela Procur.arte é baseado numa parceria internacional que envolve 14 parceiros de dez países europeus e tem o apoio da UNESCO através do International Fund for Promotion of Culture, e da União Europeia, através do EACEA -- Creative Europe Cooperation Projects.

De acordo com o diretor da Procur.arte, o projeto começa em Lisboa, mas segue para outras cidades europeias como Olot (Catalunha, Espanha), Dublin (Irlanda), Derby (Inglaterra), Caunas (Lituânia) ou Hamburgo (Alemanha).

Os parceiros europeus do projeto são, "na maioria, festivais de fotografia que vão acolher dentro da sua programação o projeto Flâneur".

A conferência Flâneur -- Novas Narrativas Urbanas, que se realiza hoje e quarta-feira, no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, será um momento chave da programação, proporcionando "um momento de reflexão conjunta entre os intervenientes e, simultaneamente, permitirá o lançamento público, a nível nacional e internacional".

Lusa
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.