sicnot

Perfil

Cultura

Capicua, Ricardo Ribeiro e Aline Frazão vão atuar no FMM Sines

Fado, música tradicional, hip hop e nova música lusófona em língua portuguesa estarão presentes este ano no Festival Músicas do Mundo de Sines (FMM Sines) com artistas como Ricardo Ribeiro, Capicua, DJ Marfox e Aline Frazão.

A organização do festival anunciou hoje uma dezena de artistas de Portugal, África e Brasil que têm em comum a língua portuguesa, embora com sonoridades muito distintas.

De 17 a 25 de julho estarão em Sines e em Porto Covo o fadista Ricardo Ribeiro, o músico Janita Salomé, o multi-instrumentista e compositor Bruno Pernadas, o coletivo Blacksea Não Maya com DJ Marfox, a rapper Capicua e Simply Rockers Sound System.

A eles juntam-se ainda a cantora angolana Aline Frazão, que editará ainda este ano um novo álbum, a gravar na ilha de Jura, Escócia, a brasileira Dona Onete, "diva do carimbó chamegado", como descreve a organização, e a cantora e guitarrista Élida Almeida, prémio Revelação nos Cabo Verde Music Awards.

O FMM de Sines cumpre a 17ª edição de uma volta ao mundo pela música, tendo já anunciado cerca de trinta artistas, nomeadamente Dele Sosimi Afrobeat Orchestra (Nigéria/Reino Unido), Forabandit (Occitânia/Turquia), Idiotape (Coreia do Sul), Niladri Kumar (Índia), Pascals (Japão), Salif Keita (Mali), Soema Montenegro (Argentina), Songhoy Blues (Mali) e Toumani & Sidiki Diabaté (Mali).

Lusa
  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.