sicnot

Perfil

Cultura

Casa Bernardo Sassetti pede ajuda para inventariar espólio deixado por músico

A Casa Bernardo Sassetti precisa de apoio para inventariar e catalogar o espólio deixado pelo músico e compositor que dá nome à instituição, disse à Lusa o membro da direção Pedro Sassetti Paes. 

LUSA (Arquivo)

"Nós temos um problema muito grande que é o seguinte: a organização, a catalogação, a inventariação de todo o material que ele deixou tem sido feita aos poucos, mas precisamos claramente e urgentemente de parceiros, pessoas profissionais e também amigos generosos que nos possam apoiar nesta atividade", afirmou Pedro Sassetti Paes. 

 
 

O irmão do músico que morreu em maio de 2012 recordou que a Casa Bernardo Sassetti concorreu a um apoio da Fundação Calouste Gulbenkian no ano passado com o objetivo de realizar esta tarefa de inventário e catalogação, mas sem sucesso. 

 
 

A Casa Bernardo Sassetti foi criada em setembro de 2012 e tem por missão "promover a obra do Bernardo enquanto compositor, enquanto músico e também na área da imagem, enquanto realizador, pintor e fotógrafo". 

 
 

"Para promover esta obra era fundamental desde logo salvaguardar o espólio. Ele deixou uma quantidade enorme de peças e de obras e de fotografia por tratar, por inventariar, por catalogar", sublinhou Pedro Sassetti Paes, tratando-se de um "trabalho que é complexo, porque ele deixou muita coisa, não só em termos de material áudio, mas também material escrito, partituras, fotografias, filmes inacabados". 

 
 

Nesse sentido, a Casa Bernardo Sassetti procura levar a cabo uma série de iniciativas, que vão de uma exposição de fotografia itinerante à edição de trabalhos do músico, para além de um concerto anual de homenagem ao artista, que este ano se vai realizar a 28 de junho na Casa da Música, no Porto. 

 
 

Adicionalmente, a sessão do longo improviso intitulado "Piano, Espaço e Momento" e estreado no Pavilhão de Portugal, em Lisboa, no ano de 2007 a convite da Trienal de Arquitetura de Lisboa, deverá ser editada no próximo ano. 

 

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21