sicnot

Perfil

Cultura

Ex-baterista dos AC/DC acusado de violar condições de prisão domiciliária

Um tribunal da Nova Zelândia acusou o ex-baterista do grupo australiano de rock AC/DC, Phill Rudd, de violar as condições de prisão domiciliária impostas na semana passada, informou hoje a imprensa local.

Phill Rudd, ex-baterista dos AC/DC

Phill Rudd, ex-baterista dos AC/DC

SIC

A polícia neozelandesa deteve Rudd na noite de sábado na mansão de que é proprietário em Tauranga, na Nova Zelândia, quando estava a dar uma festa e a consumir álcool, segundo o diário "Stuff".

O músico, que se declarou não culpado, foi libertado sob fiança, depois de ter passado o fim de semana no calabouço das instalações policiais.

No passado dia 09, um tribunal neozelandês condenou Phil Rudd a oito meses de prisão domiciliária depois de o músico ter sido declarado culpado de três acusações, incluindo proferir ameaças de morte.

Em abril, o músico admitiu em tribunal culpa de posse de droga e ameaça de morte a duas pessoas, duas acusações de que é alvo na justiça.

Phil Rudd tinha sido acusado de, em 2014, fazer ameaças de morte a um empreiteiro e à filha deste e de ter na sua posse metanfetaminas e cannabis.

Nascido na Austrália, Phil Rudd vive na Nova Zelândia desde 1983.

Lusa

  • Baterista dos AC/DC pode enfrentar pena de 8 anos prisão

    Mundo

    O baterista dos AC/DC voltou ao tribunal sob a acusação de ameaças de morte e posse de drogas na Nova Zelândia.  Phil Rudd chegou atrasado à audiência. O juiz deu um prazo de meia hora para o músico chegar ao tribunal, sob ameaça da emissão de um mandato de prisão. 

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.