sicnot

Perfil

Cultura

Cinemas portugueses tiveram 10,8 milhões de espectadores até setembro

Cerca de 10,8 milhões de espectadores foram ao cinema em Portugal entre janeiro e setembro deste ano, o que representa um aumento de mais de dois milhões de entradas, comparando com o mesmo período de 2014.


De acordo com o Instituto do Cinema e Audiovisual, este ano as salas de cinema registaram 10,8 milhões de espetadores e 55,7 milhões de euros de receita bruta de bilheteira. Em 2014, nesse mesmo período, contabilizavam-se 8,6 milhões de espectadores e 44,8 milhões de receitas.

Apesar deste aumento, setembro foi um dos meses que registou menor audiência em salas de cinema, com 923.916, metade do que foi registado, por exemplo em agosto.

Até setembro, os três filmes mais vistos pelos portugueses foram "Os mínimos", "Velocidade furiosa 7" e a produção portuguesa "O pátio das cantigas", somando 2,3 milhões de espectadores.

Este ano estreou-se cerca de vinte filmes portugueses, sendo "O pátio das cantigas", de Leonel Vieira, o mais visto, ultrapassando meio milhão de espectadores.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.