sicnot

Perfil

Cultura

Gulbenkian lança hoje programa educativo com 13 atividades para 2015/16

A música e o teatro estão entre as 13 atividades escolhidas para integrar o Programa Gulbenkian para a Cultura e Ciência 2015/16, que é hoje lançado em Lisboa, com espetáculos, instalações e oficinas para todas as idades.

O denominado "Dia D" que hoje se assinala é dedicado à matéria-prima, com atividades entre as 10:30 e as 18:00, nos vários espaços da fundação.

Trata-se do programa Descobrir, que apresenta 13 atividades, da música ao teatro, passando pelo desenho e pela fotografia.

Inclui espetáculos, instalações e oficinas sobre a matéria-prima -- "a água, as árvores, os ramos, as folhas, a luz, a imaginação, a voz, o corpo", segundo o programa.

A fundação destaca o regresso das marionetas De Papel, da companhia chilena Silencio Blanco, bem como as atividades promovidas pela SAS Orkestra de Rádios, um coletivo de artistas das áreas da música, da performance e das artes plásticas, que "transforma antenas de rádios em instrumentos musicais escultóricos".

O concerto de encerramento do "Dia D" realiza-se no Grande Auditório e conta com a atuação do Coro Juvenil da Universidade de Lisboa.

Lusa

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.