sicnot

Perfil

Cultura

Novo disco de David Fonseca é de "resistência a uma certa forma de estar"

O músico David Fonseca tem um novo álbum, "Futuro Eu", o primeiro em língua portuguesa e que é também uma reação de "resistência a uma certa forma de estar", disse à agência Lusa.

O álbum, que sai na sexta-feira, foi feito há mais de um ano, numa espécie de retiro em casa dos avós em Peniche, numa altura em que o músico de Leiria andava em ensaios e concertos com o breve regresso dos Silence 4.

Do trabalho de composição nasceram 40 canções escritas em português, mas metade foi para o lixo. Das restantes, foram escolhidas 11 para "Futuro Eu".

"Mais pessoal do que este [disco] é impossível. É pessoal tanto do ponto de vista do conteúdo como da forma, porque uso a minha língua-mãe, já não tem máscara nenhuma, não há nenhuma capa no meio disto tudo", disse o músico.

David Fonseca diz que se sentiu-se "infantilizado" a escrever em português: "Percebi que tinha que fazer muitas coisas antes. Escrevi muito conto, muito poema parvo, muita crónica, cartas, diários, escrevi durante dias e semanas. Tinha que me relacionar com a língua de forma muito mais emocional e com vista a vir um dia fazer uma canção".

Quando foi anunciado que sairia um novo disco, David Fonseca escreveu que "Futuro eu" é "emocionalmente político", ou seja, tem uma declaração emocional em relação aos tempos atuais, como explicou à Lusa.

"Vivemos num tempo muito absurdo em que a rapidez com que nós encaramos a forma de nos relacionarmos, e a forma superficial com que nos olhamos uns aos outros, tornou-se insuportável. Porque não me atrai a ideia de estar ligado a outras pessoas de formas tão superficiais", lamentou David Fonseca.

Falando indiretamente sobre o país, o músico de 42 anos diz que "pior do que não ver as coisas tristes e melancólicas é fingir que elas não existem".

"Quando comecei a escrever este disco, se calhar devia falar sobre as coisas que me preocupam. Ao fazê-lo -- escrevo sempre do ponto de vista emocional - achei que esse era um 'statement' político e emocional", continuou.

"Futuro Eu" é também o título da primeira música do alinhamento, uma carta que alguém escreve a si próprio, sem atalhos nem metáforas, cheia de lugares comuns. "É uma pregação a mim próprio, mas irónica".

"O disco não é muito de 'easy listening', não fala sobre as relações humanas de uma forma muito cândida; não entro no 'mainstream' com um disco destes, a falar sobre um amor maravilhoso. É tudo ao contrário", descreveu.

Apesar de já ter tocado, a solo e com os Silence 4, nas mais relevantes salas de espetáculos do país, ainda assim, David Fonseca fará uma estreia com os concertos de "Futuro Eu". No dia 30 no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e no dia seguinte na Casa da Música, no Porto.

As canções novas estarão presentes no alinhamento, mas David Fonseca não renega o passado. "Não há coisa pior do que pagar o bilhete para ouvir uma música e depois não a tocar. É o que as pessoas querem ouvir. Não vou defraudar as pessoas", disse.

David Fonseca, que se deu a conhecer nos anos 1990 nos Silence 4, iniciou carreira a solo em 2003 com o álbum "Sing me something new". Antes de "Futuro Eu", tinha editado o álbum "Seasons" (2012), repartido em dois discos, "Rising" e "Falling".

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • FC Porto acusa Benfica de recorrer a serviços de "bruxaria"
    2:34

    Desporto

    Francisco J. Marques acusou o Benfica de recorrer a "bruxaria". O diretor de comunicação do FC Porto revelou uma troca de e-mails entre Luís Filipe Vieira e Armando Nhaga, suposto comissário nacional da polícia da Guiné-Bissau com a celebração de um contrato de prestação de serviços.

  • Francisco J. Marques promete continuar a revelar e-mails
    2:11

    Desporto

    Francisco J. Marques diz que a Polícia Judiciária sabe como o Futebol Clube do Porto teve acesso aos e-mails e desafia o Benfica a revelar os originais. O diretor de comunicação do clube portista revelou ainda que irá continuar a divulgar e-mails, já que isso não é incompatível com o segredo de Justiça.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.

  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.