sicnot

Perfil

Cultura

Lisboa acolhe exposição sobre corpo humano, com órgãos e cadáveres reais

A exposição internacional "Real Bodies", que apresenta mais de 350 órgãos e corpos humanos reais e que permite perceber como funciona o corpo humano, inaugura no sábado na Cordoaria Nacional, em Lisboa.

realbodies.pt

"Real Bodies - Descubra o corpo humano" é apresentada como a "maior e mais completa exposição de órgão e corpos humanos reais", organizada por uma empresa norte-americana e que já foi exibida noutras cidades, somando mais de 15 milhões de visitantes.

Em 2007, Lisboa acolheu uma exposição semelhante - com 17 cadáveres e 270 órgãos humanos conservados segundo a técnica de polimerização - que chegava a Portugal com um rasto de polémica e dúvidas sobre a origem dos corpos utilizados.

"Real Bodies", que também conta com corpos reais inteiros, apresentará corpos em várias posições anatómicas, órgãos afetados por doenças e ainda corpos de atletas durante a prática desportiva.

Tendões, ossos, músculos, pele, os aparelhos urinário e respiratório, tudo será mostrado nesta exposição que, lê-se na página oficial, "é adequada para todos os públicos".

Segundo a organização, os corpos utilizados na exposição "Real Bodies" são de cidadãos que viveram na China, morreram de causas naturais e, por não terem sido reclamados, foram entregues para estudo e investigação científica.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05