sicnot

Perfil

Cultura

Lisboa acolhe exposição sobre corpo humano, com órgãos e cadáveres reais

A exposição internacional "Real Bodies", que apresenta mais de 350 órgãos e corpos humanos reais e que permite perceber como funciona o corpo humano, inaugura no sábado na Cordoaria Nacional, em Lisboa.

realbodies.pt

"Real Bodies - Descubra o corpo humano" é apresentada como a "maior e mais completa exposição de órgão e corpos humanos reais", organizada por uma empresa norte-americana e que já foi exibida noutras cidades, somando mais de 15 milhões de visitantes.

Em 2007, Lisboa acolheu uma exposição semelhante - com 17 cadáveres e 270 órgãos humanos conservados segundo a técnica de polimerização - que chegava a Portugal com um rasto de polémica e dúvidas sobre a origem dos corpos utilizados.

"Real Bodies", que também conta com corpos reais inteiros, apresentará corpos em várias posições anatómicas, órgãos afetados por doenças e ainda corpos de atletas durante a prática desportiva.

Tendões, ossos, músculos, pele, os aparelhos urinário e respiratório, tudo será mostrado nesta exposição que, lê-se na página oficial, "é adequada para todos os públicos".

Segundo a organização, os corpos utilizados na exposição "Real Bodies" são de cidadãos que viveram na China, morreram de causas naturais e, por não terem sido reclamados, foram entregues para estudo e investigação científica.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.